Além da Tesla: Conheça as outras empresas de Elon Musk

Gênio, bilionário, playboy, filantropo. Essas palavras podem ser usadas para definir o alter-ego do Homem de Ferro, Tony Stark, mas também se encaixam como uma breve descrição para Elon Musk. O empresário sul-africano ficou famoso no comando da Tesla, startup de carros elétricos que já bate de frente com grandes montadoras presentes há séculos na indústria automobilística.

Tesla: conheça a fabricante de carros elétricos de Elon Musk

Mas além dos carros elétricos, Musk já virou pauta por seus investimentos em viagens espaciais, túneis subterrâneos e, mais recentemente, uma batalha incessante para regulamentar a Inteligência Artificial. Na lista abaixo, trazemos as principais empresas que foram fundadas ou recebem apoio de Elon Musk além da Teslaque teve sua história contada neste artigo.

SpaceX: Exploração espacial e viagens rápidas na Terra

Após a Tesla, a principal empresa de Elon Musk é a SpaceX (Space Exploration Technologies Corporation), companhia privada que oferece serviços espaciais. Fundada em 2002 por Musk, é o caminho mais próximo para o empresário realizar o sonho de colonizar Marte. Em entrevistas, Musk já disse que um de seus objetivos é “morrer em Marte”.

SpaceX - Site oficial

No ano passado, a empresa apresentou planos concretos para fazer expedições de reconhecimento e colonização do Planeta Vermelho com a cápsula Dragon até 2020. Recentemente, porém, o projeto foi revisto: a colonização vai acontecer em 2024. O novo plano da companhia consiste em utilizar o grande, e ainda em desenvolvimento, BRF (conhecido como Big Fucking Rocket, ou Big Falcon Rocket).

O veículo espacial promete ser tão potente que vai facilitar as viagens interplanetárias e permitir que a SpaceX construa uma base na lua e faça as primeiras viagens para Marte dentro de cinco anos. Após conseguir estudar o ambiente do planeta e identificar possíveis ameaças, as duas primeiras missões tripuladas estão previstas para 2024. Os pesquisadores terão como missão "terraformar" o planeta e deixá-lo propício para ser habitado por humanos.

- Continua após a publicidade -

Além de conquistar Marte, a empresa também pretende usar seu "foguetão" para tornar as viagens pela Terra mais rápidas. Musk prometeu que será possível viajar pela órbita da Terra numa velocidade de até 27 mil km/h com o BFR, o que permitirá ir de um ponto para outro em menos de 1 hora. Os preços para isso também não devem ser caros. O dono da SpaceX garante que a passagem para um foguete terá preços similares a uma viagem de avião atualmente. Tudo isso no papel, é claro.

Enquanto a parte prática de colonizar Marte e viajar com o BFR estão relativamente distantes, a empresa investe em tecnologias para entregas de cargas espaciais, sendo a primeira companhia privada a oferecer tal serviço com equipamentos reutilizáveis. A SpaceX possui um contrato com a NASA e seus foguetes já fizeram uma série de viagens até a Estação Espacial Internacional carregando suprimentos.

Atualmente, o principal destaque da SpaceX são os foguetes reutilizáveis Falcon. Após inúmeros testes, falhas e explosões, a companhia chegou até o Falcon 9, que consegue pousar na Terra após uma missão e ser reutilizado em outros lançamentos.

Além de gerar uma economia de cerca de US$ 6 milhões por não explodir um foguete, a reutilização de equipamentos desenvolvida pela SpaceX representa um grande passo para a indústria. Os componentes utilizados para a fabricação de um módulo espacial são caros, e poder recuperá-los após uma viagem espacial gera grandes cortes nos gastos.

A SpaceX também está trabalhando no Hyperloop, um meio de transporte subterrâneo que utiliza cápsulas que aguentam velocidades supersônicas. O projeto está ganhando vida graças a parceria de Musk com diversos pesquisadores e startups, e deve ganhar um impulso com o funcionamento da Boring Company, um das mais recente companhias do empresário sul-africano, e que será abordada em breve neste texto.

- Continua após a publicidade -

SolarCity: Os tetos solares da Tesla

Fundada em 2006 pelos irmãos Peter e Lyndon Rive, primos de Elon Musk, a SolarCity já foi um ícone na indústria de tecnologias solares, sendo considerada uma das empresas mais promissoras no setor no início de sua existência. A companhia é uma fabricante de produtos com tecnologia para energia solar, como tetos e, mais recentemente, baterias que se alimentam da luz do sol.

SolarCity - Site oficial

Apesar de ser bastante promissora, com o passar do tempo a companhia atravessou uma série de crises econômicas, e nem a presença de Musk como chairman pôde salvar a independência da empresa.

No ano passado, os irmãos Rive fizeram uma série de cortes no número de funcionários e chegaram a reduzir seus próprios salários para um dólar, segundo aponta o Mashable. Em agosto de 2016, Musk salvou a empresa da falência e anunciou que a Tesla compraria a Solar City por US$ 2,6 bilhões, o que preocupou alguns acionistas da fabricante de carros.

Musk acalmou os ânimos argumentando que a fusão das empresas traria lucros e auxiliaria em seu plano de investir em energias renováveis. Antes mesmo da aquisição ser completada, a Tesla e Solar City apresentaram produtos importantes juntas, incluindo uma linha de telhados solares com estética diferenciada e a bateria doméstica Powerwall 2, que é carregada com energia solar e serve para alimentar carros elétricos e casas.

O negócio foi fechado em novembro de 2016 e a SolarCity passou a integrar a Tesla. Em julho, Peter Rive, um dos fundadores da companhia, anunciou que estava saindo da Tesla para focar em outros projetos. Seu irmão, Lyndon Rive, já havia deixado a companhia em maio pelos mesmos motivos. Será que a fusão com a Tesla não alegrou os irmãos ou eles acharam que a companhia está em boas mãos agora?

Agora, resta para a Tesla fazer bom uso da tecnologia da companhia e limpar suas sujeiras do passado. Em setembro, a fabricante de carros concordou em pagar uma multa de quase US$ 30 milhões após a SolarCity ser acusada de se aproveitar de benefícios do governo dos Estados Unidos. 

OpenAI: A Inteligência Artificial que o Elon Musk gosta

Fundada por Musk e Sam Altman, a OpenAI é uma instituição sem fins lucrativos que visa estudar e pesquisar inteligência artificial, com foco em questões de segurança para a tecnologia.

OpenAI - Site oficial

Quem acompanha as notícias do mundo da tecnologia já sabe: Elon Musk tem muito medo de que a Inteligência Artificial saia do controle em um futuro não tão distante e acabe dizimando a humanidade. O bilionário já trocou farpas com Mark Zuckerberg e pesquisadores na área sobre os perigos da AI.

Ex-funcionário da Google funda religião
para criar e louvar Inteligência Artificial

A OpenAI conta com cerca de 60 pesquisadores e engenheiros que fazem projetos de “Inteligência Artificial Segura”, e trabalham de forma colaborativa com diversas companhias que utilizam IA visando melhorar a tecnologia.

Recentemente, a OpenAI ganhou destaque quando seu algoritmo de inteligência artificial foi apresentado no campeonato de DOTA 2. A IA foi treinada e conseguiu bater um pro-player do MOBA da Valve no modo 1-contra-1. A batalha entre homem e máquina pode ser vista no vídeo acima.

The Boring Company: Cavando túneis nos Estados Unidos

Uma das mais recentes criações de Musk, a Boring Company é a companhia de escavação do dono da Tesla. Vista inicialmente como uma piada por causa do nome, a empresa se tornou real no fim de 2016 e tem como objetivo terminar com o intenso congestionamento de carros nas estradas. Como fazer isso? Por meio de túneis.

Boring Company - Site Oficial

Segundo o site da companhia, a solução para não acabarmos parados em rodovias em horário de pico é "tornar as estradas 3D", através de carros voadores ou túneis. "Túneis não são afetados pelo clima e não caem em nossas cabeças", explica a Boring Company.

Elon Musk apresentou um conceito do que quer fazer no vídeo que pode ser visto acima. Os túneis serão equipados com trilhos e um veículo de carga que levará carros a uma velocidade de 200 km/h. O empresário já conseguiu permissão e está escavando túneis em Los Angeles com a Godot, uma máquina de 1200 toneladas e 121 metros que faz buracos na terra.

"Túneis não são afetados pelo clima e não caem em nossas cabeças"

A Boring Company também vai servir para acelerar a chegada do Hyperloop. Atualmente, o desenvolvimento das cápsulas do veículo supersônico é feito por startups licenciadas pela SpaceX, mas Musk também vai fazer seu Hyperloop, segundo o Bloomberg. Graças a criação de sua startup de túneis, aliado aos produtos espaciais da SpaceX, o empresário possui tecnologia e infraestrutura para criar seu próprio trem ultrasônico com jogos e prostitutas.

Como o nome indica, a Neuralink é uma startup criada para pesquisa e desenvolvimento de tecnologias e interfaces capazes de conectar computadores e o cérebro humano. Apresentada no começo de março por Elon Musk, a companhia ainda é rodeada de mistério e não teve nenhum protótipo de produto apresentado.

Neuralink - Site oficial

Em seu site, a Neuralink possui um monte de vagas de emprego disponíveis para engenheiros e cientistas, que "não precisam ter experiência em neurociência", mas talento para "construir coisas que funcionem".

Segundo o Bloomberg, a companhia recebeu recentemente um investimento de US$ 27 milhões para avançar seus trabalhos na missão de conectar homem e máquina. De acordo com Elon Musk, a companhia não recebe muito de sua atenção, então talvez demore para termos grandes novidades vindas da Neuralink.

Apesar do imenso portfólio de companhias, Musk já declarou que seus esforços ainda estão focados na Tesla e SpaceX, suas primeiras filhas. "90% ou mais do meu tempo é dividido entre SpaceX e Tesla".

"90% ou mais do meu tempo é dividido entre SpaceX e Tesla" - Elon Musk

Além das empresas citadas, que possuem grande proximidade de Musk, o empresário também possui investimentos em várias outras companhias, principalmente o ramo espacial e de IA, como informa a Wired.

Junto com seu irmão, o dono da Tesla também mantém a Musk Foundation. De acordo com o site (oficial, apesar de não parecer), a instituição atua fazendo doações no desenvolvimento de energia renovável, exploração espacial, pesquisas de pediatria e projetos educacionais de ciência e engenharia.

Musk Foundation - Site oficial (é sério)

Segundo a Forbes, o site da Musk Foundation não recebe updates há 11 anos, mas a instituição faz doações entre US$ 105 mil e 600 mil desde 2005, que já foram usados para a construção de painéis fotovoltaicos na Califórnia e hortas em escolas básicas.

Sabe de mais alguma informação importante sobre a "Musklândia" que esquecemos? Deixe sua colaboração nos comentários!

Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.