Créditos: Epic

Chefe do Playstation quer aumentar suporte ao cross-play na plataforma

Depois de críticas por não abraçar o recurso, Sony agora diz que "encoraja" cross-play

Os executivos que tomam as decisões por trás do Playstation agora "suportam e encorajam o cross-play". Foi isso que Jim Ryan, atual chefe da divisão de entretenimento da Sony, informou numa entrevista recente ao site Axios. Ele diz que o número de jogos que suportam o recurso na plataforma vão "continuar a crescer".

Essa postura não veio sem pressão popular. O PS4 e o PS5 estiveram quase sempre entre os últimos consoles que entram no "bonde" do cross-play a cada novo anúncio do recurso em variados títulos. Um dos mais emblemáticos foi com Fortnite, um dos games mais jogados do mundo e que teve seu cross-play implementado no Playstation só depois.

O caso aconteceu em 2018, como relembra em IGN, com o porte de Fortnite para o Switch. Além de jogadores do PS4 não conseguirem jogar com outras plataformas, quem chegou a ativar sua conta no console e jogou uma única partida que fosse, também não podia levar seu progresso para o Switch.

Foi depois de reclamações e críticas sem fim que o Playstation flexibilizou sua intransigências, mas não sem conseguir tirar uma casquinha extra da Epic. A briga da produtora de Fortnite com a Apple revelou que a dona do game fez um contrato com a Sony para oferecer uma fatia maior de ganhos quando jogadores que jogavam Fortnite mais tempo no PS4 fizessem compras em outras plataformas.

Toda a polêmica parece ter servido, ao menos, para amadurecer a maneira que os tomadores de decisões por trás do PS4 e PS5 enxergam o cross-play. Além de mencionar que a lista de jogos com suporte vai continuar a crescer, Jim Ryan destaca outros que já têm, como o próprio Fortnite, COD e Minecraft, além de falar de Destiny 2, que também terá em breve.

- Continua após a publicidade -

Na lista chama a atenção a ausência de Borderlands 3, que passou a incorporar o recurso, mas novamente deixou o Playstation de fora. Mas parece que neste caso é um atrito mais específico, porque ao ser perguntado sobre o assunto pelo Axios, Jim Ryan disse que não queria falar sobre "uma questão existente de negócios com um parceiro de longa data".

Via: IGN Fonte: Axios
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.