Créditos: Reprodução / AMD

AMD está disposta a ajudar Intel e NVIDIA a ativarem o Smart Access Memory

Mas a maior parte do trabalho depende deles mesmos e não da AMD

A AMD lançou o Smart Access Memory (SAM) como um novo recurso das suas placas de vídeo da série AMD Radeon RX 6000 que funciona apenas com os seus processadores da série AMD Ryzen 5000. Isso ocorre porque, aparentemente, o SAM precisa de uma cooperação próxima entre o processador e a placa de vídeo.

Atualmente, os processadores possuem acesso a 256 MB de memória de vídeo por vez. Ao ativar o SAM, o processador passa a ter acesso a toda a memória da placa de vídeo. Apesar disso, os ganhos, até o momento, não foram expressivos, sendo algo entre 5% a 7%, de acordo com o teste realizado pelo Adrenaline.

SAM da AMD: testamos o ganho de performance (e como fica a disputa com RTX 3080)

No entanto, a NVIDIA afirmou que consegue implementar uma espécie de SAM em suas placas de vídeo que utilizam a arquitetura Ampere, pois o recurso faz parte das especificações PCI Express. E tudo indica que este recurso já está em desenvolvimento e será lançado para as placas de vídeo da série GeForce RTX 30 por meio de drivers.

Ademais, a NVIDIA também acredita que uma espécie de SAM pode ser implementado universalmente, desde que todos os fabricantes concordem com alguns padrões, visto que ele depende de um recurso PCI Express.

- Continua após a publicidade -

Smart Access Memory
Créditos: AMD

Por conta disso, a PCWorld perguntou para o Scott Herkelman – diretor geral da AMD Radeon – em uma entrevista disponível no YouTube, se a AMD acha que isso é possível e até que ponto ela estaria disposta a apoiar esta padronização. A resposta do Scott, em tradução livre para o português, foi a seguinte:

"Eu acho que você tem que perguntar para eles, mas acredito que eles irão precisar trabalhar em seus próprios drivers. A Intel terá que trabalhar com seus próprios fabricantes de placas-mãe e em seus próprios chipsets.

[...]

E, só para ficar claro, o nosso grupo Radeon trabalhará com a Intel para deixá-los preparados. E eu sei que o nosso grupo Ryzen trabalhará com a NVIDIA. Já há conversas em andamento. Se eles estiverem interessados em habilitar este recurso nas plataformas AMD, nós não vamos impedi-los.

- Continua após a publicidade -

Na verdade, eu espero que eles façam. No final do dia, quem ganha é o jogador e isso é o que importa. Nós somos apenas a empresa que poderia fazer isso mais rápido porque somos a única empresa no mundo com GPUs e CPUs entusiastas."

Por fim, a padronização de um recurso parecido com o SAM pode ter um impacto na forma como os jogos são desenvolvidos, pois apesar de o recurso não exigir um suporte do desenvolvedor, alguns jogos o utilizam de uma forma muito mais eficaz do que outros, como, por exemplo, o Assassin's Creed Valhalla.

Fonte: TechSpot
  • Redator: Amanda Favaro

    Amanda Favaro

    Apesar de gostar de jogar videogame desde sempre, a Amanda encontrou a sua verdadeira paixão em 2004, quando ganhou o seu tão almejado primeiro PC. De lá para cá se aprofundou cada vez mais sobre o assunto e hoje se considera uma entusiasta de hardware. Além disso, continua adorando jogar, a única diferença é que agora a sua plataforma principal é o PC.

Qual a sua marca de mouses para jogos favorita? - Pesquisa de Periféricos 2020

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.