Todos os aplicativos Android deverão suportar arquitetura 64-bits até 2019

A Google determinou que todos os aplicativos lançados para o sistema operacional Android deverão suportar a arquitetura de 64-bits até agosto de 2019. Hoje, apps que rodem no sistema operacional da Google só precisam ter uma versão de 32-bits por padrão. 

O suporte para bibliotecas de código de 64-bits foi implementado em 2014, com o lançamento do Android 5.0 Lollipop. A Qualcomm, mais popular fabricante de chipsets mobile, inclui o recurso em seus SoCs desde 2013, com o Snapdragon 410. De acordo com a Google, 40% dos aparelhos Android trazem CPUs 64-bit.

Snapdragon série 400: conheça principais características e smartphones com esses processadores

A ideia da Google para o futuro da plataforma é ter apenas códigos em 64-bit rodando no Android. Por causa disso, será necessário que os aplicativos possam rodar em futuros smartphones não tenham suporte a 32-bit.

Isso requer que aplicativos que possuam uma biblioteca nativa recebam uma alternativa de 64-bits no mesmo APK ou na forma de um APK publicado separadamente na Play Store.

- Continua após a publicidade -


Android Lollipop: o que muda com a versão 5.0 do Android

O resultado da mudança é um "desempenho significativamente melhor", nas palavras da Google, tanto para o sistema operacional quanto para os aplicativos que estiverem rodando nele.

Outro ponto que ganhará atenção nos próximos meses é a segurança do Android. A partir de 2018, os desenvolvedores terão que buscar usar um nível de API recente.

A partir de agosto de 2018, todos os novos aplicativos terão que usar o nível de API 26, que está contida no Android 8.0, ou alguma mais recente. Já em novembro do ano que vem, até as atualizações de apps antigos terão que usar esta API ou mais recente. Ao fazer isso, a Google garante que os aplicativos serão mais seguros e rodarão melhor.

Também será adicionada uma pequena quantidade de metadados para cada APK da Play Store para verificar sua autenticidade. Isso é algo que não será percebido diretamente pelo usuário final, mas que faz diferença na segurança do sistema.
 

Via: Android Authority Fonte: Android Developers Blog
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.