Fundador do Uber Travis Kalanick renuncia do cargo de presidente da empresa

Após se afastar temporariamente de suas funções na empresa, o cofundador da Uber, Travis Kalanick, renunciou do cargo de presidente-executivo da empresa.

Segundo uma nota de Kalanick enviada aos funcionários da Uber, a renuncia veio após um pedido do grupo de investidores e problemas na vida pessoal do executivo. O cofundador do Uber perdeu sua mãe em um acidente de barco em maio. O comunicado pode ser lido abaixo:

"Eu nunca pensei que fosse escrever isso. Como vocês sabem, eu amo a Uber mais do que tudo no mundo, mas, nesse momento difícil da minha vida pessoal, eu aceitei o pedido de um grupo de investidores para me retirar, de modo que a Uber possa voltar a construir em vez de se distrair com mais uma briga. Eu vou continuar a servir no conselho e sempre estarei disponível em todo e qualquer modo para ajudar a Uber a se tornar tudo o que nós sonhamos que ela se tornaria", afirmou Travis Kalanick, CEO da Uber, em nota aos funcionários

"Eu nunca pensei que fosse escrever isso. Como vocês sabem, eu amo a Uber mais do que tudo no mundo, mas, nesse momento difícil da minha vida pessoal, eu aceitei o pedido de um grupo de investidores para me retirar, de modo que a Uber possa voltar a construir em vez de se distrair com mais uma briga. Eu vou continuar a servir no conselho e sempre estarei disponível em todo e qualquer modo para ajudar a Uber a se tornar tudo o que nós sonhamos que ela se tornaria", afirmou Travis Kalanick, CEO da Uber, em nota aos funcionários

Desde sua criação em 2009 e ascenção nos últimos anos, a Uber chegou em mais de 500 cidades mundialmente e é considerada uma das empresas mais promissoras na área de tecnologia, sendo avaliada em mais de US$ 60 bilhões. Mas com o crescimento, o serviço de caronas oferecido pela companhia acabou trazendo diversos problemas.

A companhia enfrenta uma série de processos relacionados com abuso sexual cometidos pelos motoristas do aplicativo, além de problemas na regulamentação do serviço em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil.

- Continua após a publicidade -

Uber é completamente banido da Itália
 e precisa deixar o país em 10 dias

Internamente a Uber também passa por um período conturbado. A companhia perdeu executivos de alto escalão como o ex-vice presidente sênior Emil Michael, além mais de 20 funcionários, após investigações dos escândalos de abuso.

Apesar da renuncia ao cargo de presidente, Travis Kalanick ainda vai contribuir como parte do conselho da empresa. Em um comunicado, o conselho de diretores comentou a mudança impactante no comando da Uber.

"Saindo, ele ganha tempo para se curar de sua tragédia pessoal e, ao mesmo tempo, dá espaço para que a empresa abrace por completo esse novo capítulo de sua história"

"Saindo, ele ganha tempo para se curar de sua tragédia pessoal e, ao mesmo tempo, dá espaço para que a empresa abrace por completo esse novo capítulo de sua história"

O conselho de diretores da Uber ainda não anunciou um nome para substituir Kalanick no cargo de presidente-executivo.

Via: Tweaktown
Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Pra você, quem merece o GOTY?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.