REVIEW: MSI MAG B460 Tomahawk - Uma ótima placa-mãe, mas limitada pelo chipset

Bom projeto de placa para processadores Intel LGA 1200, mas chipset tem limitações cruciais

A MSI MAG B460 Tomahawk é é a primeira placa-mãe que recebemos com chipset B460, o intermediário da Intel para processadores Core de 10ª geração soquete LGA 1200, e que também será compatível com os processadores Intel de 11ª geração. Essa placa tem como destaque seu formato ATX com bom projeto e tecnologias, incluindo uma conexão USB 3.2 GEN2x2(Tipo C), algo bastante raro atualmente.

Entre as principais diferenças de placas-mãe com chipset B460 para modelos como o Z490, estão a limitação de overclock e frequências de memória. Quando falamos de Intel, overclock apenas com os modelos da linha "Z", que tem o multiplicador desbloqueado. Outra diferença está na quantidade de linhas PCI-Express, 16 na B460 contra 24 na Z490. Por fim o suporte a memórias vai até 2933MHz, justamente a frequência máxima dos processadores Core i7 e i9 de 10ª geração, mas pode cair para 2666MHz se o processador utilizado for um Core i3 ou i5.

Site oficial da MSI MAG B460 Tomahawk
Análise Intel Core i5-10600K

Em cenário internacional, a MAG B460 Tomahawk chegou  custando US$130, mas o momento atual já elevou seu preço para acima de US$140. É possível encontrar modelos com esse chipset por preços abaixo de US$100, mas logicamente perdendo na qualidade dos componentes, acabamento e tecnologias, que vai refletir na qualidade final da placa. No Brasil, atualmente a placa custa por volta de R$1.200+, com preços variando bastante.


Tecnologias

A MSI adicionou tecnologias a esse modelo que a posicionam como uma placa acima da média, com acabamento muito bom e tecnologias que normalmente são implementadas em suas melhores linhas - o que não é uma surpresa, já que se trata de uma Tomahawk. Destaco os projeto com 12+1+1 controladores de fase, mesmo sem oferecer possibilidade de overclock, que naturalmente torna o sistema mais estável quando utilizando CPUs mais potentes como um i9. Ela também traz uma conexão de rede de 2.5GbE, além de uma porta USB 3.2 GEN2x2, um padrão ainda bastante difícil de ser encontrado e o mais rápido da atualidade. Não que essa conexão faça diferença prática para o cenário atual, mas ainda é algo bastante raro.

Abaixo, o diagrama das principais tecnologias do chipset B460, sendo que algumas das tecnologias podem não estar presentes em algumas placas, já que os fabricantes podem não adicionar visando ter um preço mais competitivo. Outras tecnologias não suportadas pelo chipset podem ser adicionadas visando um produto diferenciado, como é o caso dessa USB 3.2 GEN2x2, só possível graças ao chip ASMedia ASM3241.

Especificações do chipset Intel B460

Para quem não pretende overclockar o sistema, uma boa placa-mãe com chipset B460 é uma boa alternativa frente a uma Z490? Sim e não. O maior problema está no fato de não possibilitar frequência de memória acima do que o suporte máximo do processador - 2933MHz para os Core i7 e i9 e 2666MHz para os modelos Core i3 e i5. Overclock não é o maior problema, ao meu ver, para esse perfil de placa, mas a limitação na frequência das memórias sim, especialmente porque kits de 3200MHz já estão com preços semelhantes aos modelos com frequências menores, e essa frequência mais alta pode trazer bons ganhos em vários cenários. Ao colocar kits de memória com frequências mais altas, o sistema automaticamente vai "baixar" para o máximo suportado pelo processador.

- Continua após a publicidade -

Chipset B460 não deixa overclockar CPU e suporte a memória vai até 2933MHz. Não mais

Sempre lembramos que a AMD é muito mais aberta nesse quesito, deixando a limitação de overclock do CPU restringida apenas no chipset de entrada, ex.: A520, que aliás, suporta frequências de memórias mais altas, ficando de fora apenas o suporte para overclock do CPU.

Voltando às diferença entre os chipsets, como destacamos na introdução, menor quantidade de linhas PCI-Express também estão entre os cortes feito pela Intel. Na prática, pouco vai afetar os usuários que comprarem um modelo com esse chipset, mas, novamente, quando falamos de uma AMD B550, o número de linhas PCI-Express fica em 24 canais. Para quem está na dúvida se isso vai impactar no desempenho, é só conferir os testes na sequência da review.

Comparativo de especificações: H410 vs B460 vs H470 vs Z490

De resto, conexões USB, HDMI, LAN etc, ficam por conta do fabricante, que tendem a deixar um pouco abaixo de modelos H470 e Z490 para não encarecer a placa e perder o sentido de modelos com esse chipset, que buscam maior competitividade em preço.


Fotos

A placa-mãe tem um acabamento bem acima do padrão de placas com chipset B460, próxima dos melhores modelos com chipset H470 e semelhante a muitas Z490. A quantidade de tecnologias também é muito boa, como já destaquei, com conexão de rede de 2.5GbE, uma USB 3.2 Gen 2x2, bastante rara ainda.

Na hierarquia de chipset série 400, vem o H410, B460, H470 e Z490

- Continua após a publicidade -

O painel traseiro é fixo, como nos modelos de maior qualidade, e além da REDE e USB destacadas acima, também traz uma HDMI e uma DisplayPort para vídeo, além de conexões de áudio banhadas a ouro.


BIOS

Gosto muito de como a MSI se comporta com relação à atualização de BIOS - umas das grandes fabricantes que dá mais atenção a atualizações, e como elas normalmente são lançadas visando maior compatibilidade. Em plataformas com o conceito de longevidade, como do soquete AM4, faz muita diferença.

Já relacionado a interface, também está entre as empresas com a melhor solução ao meu ver, não apenas nesse modelo - de todos, já que a interface segue o mesmo layout.

- Continua após a publicidade -

BIOS DOWNLOAD - MSI MAG B460 Tomahawk

Uma curiosidade é que as  BIOS mais recentes de placas-mãe também mais recentes trazem uma opção solicitando que você defina o tipo de seu cooler, e se não for o modelo que acompanha os processadores, ou seja, tem um cooler a ar de melhor qualidade ou liquid cooler instalado, a placa vai automaticamente entregar mais energia para o CPU e, consequentemente, ele vai alcançar suas frequências mais altas.


Sistema Utilizado

Veja abaixo os detalhes do sistema utilizado na bateria de testes. Foi usado o mesmo em todas as plataformas, com exceção da placa-mãe.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todos os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i5-10600K [análise]
- Placa de vídeo: GeForce RTX 2080 Ti [análise]
- Memórias: 16GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB) CL14 [site oficial]
- SSD Seagate FireCuda 520 500GB PCIe4 [site oficial]
- Cooler: Noctua NH-U12S [site oficial]
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 "2004" 64 Bits com Updates
- GeForce 446.xx

Aplicativos/Games:
- 7-Zip 2.x
- AIDA 5.xx
- ATTO Benchmark 4.x
- Cinebench R20
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike Ultra (DX11 - 4K)
- Red Dead Redemption 2 (Vulkan)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)

CPU-Z/AIDA
Confira abaixo as telas do CPU-Z e AIDA, com detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. As memórias utilizam a configuração máxima recomendada pelo CPU utilizado, no caso, 2666MHz do Core i5-10600K. Vale destacar novamente que, no caso de placas-mãe com esse chipset, mesmo querendo, não seria possível colocar a frequência acima do máximo recomendado pelo processador em uso.

Para usar a frequência máxima das memórias, é necessário definir o perfil XMP na BIOS


Software MSI Dragon Center

Assim como as demais empresas, a MSI também tem seu software auxiliar para complementar as funcionalidades de suas placas-mãe, chamado de Dragon Center. Esse software tem várias funções: a primeira, analisar qual é a placa-mãe instalada e baixar todos os drivers e softwares compatíveis com ela. Após esse processo, proporcionar ao usuário o uso de todas as tecnologias oferecidas para o sistema.

O aplicativo traz configurações como modos de velocidade das FANs conectadas à mainboard, controle dos LEDs RGB entre outras configurações. Sempre lembrando que tudo relacionado a overclock não será suportado e sequer deve aparecer se a placa não suportar.


Overclock

Como ela se comporta em Overclock? Essa placa não possibilita overclock, e isso acontecerá com todos os modelos com chipset H470, B460 e H410. Ao meu ver, overclockar o CPU nem é um grande problema, mas placas com esses chipsets destacados também não suportam memórias com frequência acima do que o processador suporta. Ou seja, 2666MHz nos modelos até Core i3 e i5, e 2933MHz nos modelos Core i7 e Core i9. Isso é uma grande limitação em diversos cenários, especialmente no caso dos modelos com suporte máximo a 2666MHz.

Como toda B460, sem suporte a overclock do CPU e também das memórias


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:


Aquecimento dos VRMs

Vários usuários pediram testes de temperatura dos VRMs, então essa será a primeira review que trago esses testes. Não irei entrar a fundo de forma mais técnica, mas o conceito básico é quanto mais os VRMs aquecerem, menor o tempo de vida e mais instável a placa pode ficar, dependendo seu projeto. A qualidade dos componentes está diretamente associada ao resultado final, sendo que, em um modelo como esse, os VRMs são de qualidade bem superior a um modelo de entrada. O motivo é bastante lógico: a tendência é de que os interessados em placas-mãe mais robustas combinem elas com um processadores de maior desempenho. Logo, maior consumo e, na ponta, a necessidade de um produto de maior qualidade para tudo ficar equilibrado.

Abaixo, fotos da temperatura de alguns dos VRMs com câmera de calor, mostrando que a placa está em um cenário bastante tranquilo nesse aspecto.


Testes de desempenho
Temos uma série de testes de desempenho com o sistema, que você pode conferir abaixo. Comparamos a placa com outros modelos do mercado, utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema - e, nesse caso, como já repeti algumas vezes, não existe.

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

ATTO Disk Benchmark
O ATTO é um bom aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento, sendo um dos mais utilizados para essa finalidade. Vejam abaixo o comportamento de um SSD PCIe4 testado nos modelos de placas comparadas:

CineBENCH R20
O CineBench está entre os mais famosos testes de benchmarks para processadores, baseado em um teste convertendo uma imagem. Adicionamos aos comparativos o teste Multi Core:

7-Zip
O software de compactação 7-Zip se tornou um dos mais populares do mundo por se tratar de um aplicativo de código aberto. Ele possui também um benchmark interno que vem sendo muito utilizado para métrica de performance. Abaixo, o desempenho dos sistemas com ele:

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, obtemos os resultados abaixo:

3DMark
Tratando-se de testes de desempenho gráfico do sistema, começamos com o 3DMark no modo Fire Strike Ultra, que usa resolução 4K:

Red Dead Redemption 2
Game da RockStar com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento de sistemas. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam.

Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider traz ótimos gráficos, exigindo muito dos sistemas, mesmo de alta performance.


Conclusão

A MSI MAG B460 Tomahawk é com certeza uma das melhores placas do mercado com o chipset B460, mesmo ela não conseguindo resolver importantes limitações - justamente por utilizar o chipset B460.

Como grandes destaques da placa, temos um acabamento semelhante a bons modelos com chipset Z490, inclusive com tecnologias como uma conexão USB 3.2 Gen2x2, encontrado em pouquíssimos modelos. Ela vai suportar qualquer processador Core de 10ª geração, como provavelmente futuros Core de 11ª após atualização de BIOS. Pelas características e componentes utilizados, mesmo um Core i9 não vai apresentar problemas, logicamente sem overclock e memórias em no máximo 2933MHz. Talvez os modelos Core de 11ª geração tragam suporte a frequências mais altas, mas não tem nada confirmado ainda.

A mainboard suporta até 128GB de RAM com frequência de até 2933MHz na linha Core de 10ª geração. Possui 2 slots M.2 PCIe 3.0, duas conexões de LAN, sistema de áudio com 7.1 canais através do chip Realtek ALC1200, conexões USB 3.2 Gen2 e inclusive uma USB 3.2 Gen2x2. Na parte de conexões de vídeo, uma HDMI 1.4 e uma DisplayPort 1.4, sendo essa a única com suporte a 4K 60Hz.

Bom acabamento, alta qualidade dos componentes, mas limitada pelo chipset

Fiquei um pouco surpreso quando recebemos essa placa, porque, ao tirar da caixa, tudo remete a um modelo de alta qualidade, semelhante a bons modelos com chipset Z490, incluindo sistema com 12+1+! controladores de fases. Mas a surpresa veio após ir analisando as principais limitações do chipset, que complicam muito a vida de uma placa assim, porque mesmo sendo ótima, ela vai ser "segurada" justamente pelas limitações - e não são poucas, como falei.

O que mais me incomoda é a questão do limite das frequências das memórias, bem mais do que overclock do CPU. Limitar as frequências das memórias ao máximo recomendado para o CPU utilizado é complicado demais. Como principal exemplo o caso do próprio Core i5-10600K - um ótimo processador, mas que não conseguirá rodar com frequência acima de 2666MHz, o que é uma limitação muito grande. Memórias de 3200MHz, por exemplo, já são encontradas por preços semelhantes a modelos de 2666MHz, e esse upgrade traria bons resultados em vários cenários. Uma pena...

No teste com um SSD M.2 NVMe PCIe4, o resultado quando rodando com esse modelo ficou abaixo do que com outras placas Z490. Refiz várias vezes, e não obtive resultados diferentes. Em uma futura placa que testar com esse chipset quero ver se o cenário será o mesmo. Caso aconteça novamente, pode ter aqui um reflexo de utilizar uma placa de vídeo PCI-Express 16x e 2 SSDs NVMe M.2, gerando um gargalo devido a limitação de banda pelos 20 canais PCI-e.

Limitar frequências de memórias em chipset intermediário não é mais aceitável

Essa placa no Brasil está custando cerca de R$1.200+, um preço que infelizmente não justifica sua compra pelas limitações do chipset. Com R$100 a mais, já é possível comprar um modelo com chipset Z490 que não tem nenhuma das limitações que destaquei - como exemplo a própria MSI Z490-A PRO.

Outro ponto importante, optando por placas com chipset como o AMD B550, B450 ou outro nesse nível para processadores AMD Ryzen, será possível utilizar tecnologias como da frequências de memórias mais altas, entre outras, melhores na plataforma AMD já que a limitação maior fica apenas para a linha de entrada de chipsets (A320x, A520), e mesmo assim, apenas relacionado a OC e não as memória.

PRÓS
Bom acabamento e componentes de alta qualidade
Suporte aos processadores Core de 10ª geração e 11ª geração
CONTRAS
Chipset sem suporte a overclock e frequência de memória acima de 2933MHz
Preço muito alto pelas limitações
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.