Diablo II Ressurected: gameplay em ultrawide e no PC da Crise!

Jogamos o alfa técnico e trazemos nossos pitacos em como está ficando
Por Diego Kerber 21/04/2021 14:05 | atualizado 22/04/2021 13:10 Comentários Reportar erro

Esse fim de semana rolou o alfa técnico com Diablo 2 Ressurected, a remasterização do clássico game da Blizzard. Nós experimentamos jogar em dois sistemas: um high-end para ver o remaster em todo seu esplendor, e um com nosso PC de entrada, o PC da Crise, pra ver se está fácil encarar o game mesmo em um computador mais limitado. 

Site oficial Diablo II Ressurect

Diablo II ainda é um game que segurou muito bem a passagem do tempo quando o assunto é gameplay, mas a estética já estava se tornando um problema. Não tanto pelos gráficos que, ao menos na minha opinião, ainda não tornavam o jogo impossível de ser jogado hoje, mas mais pelas limitações técnicas. Feito nos anos 2000, o jogo não tem nem suporte a 16:9, rodando nos clássicos 4:3 dos monitores de tubo. Diablo 2 Ressurected resolve o problema atualizando em muito o suporte a múltiplas resoluções. Não só o 16:9 como até o 21:9 (ultrawide) passam a estar disponíveis, e a resolução vai até 4K.

Isso ajuda bastante no gameplay, porque essa área adiciona de tela é muito bem aproveitada. No nosso gameplay em um monitor ultrawide sobra lugar para tudo, o mapa deixa de ficar no meio da tela, atrapalhando a visibilidade, e vai lá pro canto, enquanto os menus não apenas ficam bem encaixados nas laterais, como é possível abrir dois e ainda ter, no meio da tela, mais área de gameplay que o jogo anterior tinha nos seus míseros 4:3. 

Os gráficos tem um salto de qualidade que esperamos de um remaster. 21 anos depois temos gráficos muito melhorados na resolução, definição e principalmente nos efeitos de luz. Algo que me impactou bastante foram os efeitos de luz. Tanto a iluminação ambiente quanto flashes das magias e especiais dos personagens e dos monstros dão um volume aos cenários e objetos que o game original não tinha.

- Continua após a publicidade -

Outro salto grande é na fluidez das animações. Enquanto o game original tinha movimentos bruscos e taxas de quadros mais baixas, agora dá para ver um movimento muito mais suave dos personagens e seus ataques. 

Em gameplay temos praticamente nenhuma mudança, algo que não apenas faz sentido para um remaster, como também atesta a resistência desse game à passagem do tempo. Algumas poucas coisas sofreram ajustes, como alguns menus foram melhor organizados, o espaço do baú para armazenar item foi ampliado (sim, chega de ficar lutando pra fazer espaço lá) e também haverá um baú compartilhado, acabando com a necessidade de ficar pulando itens de um personagem para outro com ajuda de "mulas".

Um ponto importante é que dessa vez não será repetido o erro de Warcraft III: Reforged. O remaster do game de estratégia de 2002 foi duramente criticado por, entre outros motivos, ter forçado os jogadores do game original a migrar para a remasterização. Diablo II Ressurected será um jogo indepentendente com servidor próprio, então os jogadores que não quiserem comprar esse novo game, ou que preferem a experiência original, continuarão tendo ela disponível após o lançamento do remaster.

E como está o jogo no PC? Além de testar em um PC high-end, que não teve dificuldades nenhuma em cravar 60fps em qualidade máxima em 1080p ultrawide, também testamos em nosso sempre prestativo PC da Crise, equipado apenas com gráficos integrados de seu processador AMD Ryzen 3 3200G. Isso não fica longe da especificação mínima recomendada, que inclui:

- Continua após a publicidade -

- CPU  Intel Core i3-3250 ou AMD FX-4350
- Nvidia GTX 660 ou AMD Radeon HD 7850

Felizmente foi possível jogar com nosso PC de entrada, fazendo as devidas concessões. Buscar 60 quadros por segundo não parece uma boa alternativa, porque foi preciso baixar bastante a qualidade e a resolução para alcançar os 30fps. No nosso caso, configuramos o jogo para o mínimo de qualidade gráfica e a resolução foi o FullHD. Nesse ajuste temos um gameplay oscilando entre 20 e 24fps, o que nos leva a um ajuste na escala de resolução. Em 75% do 1080p atingimos um nível de performance suficiente parar jogar de forma estável em 30fps, mas também começamos a transformar o remaster no game original de 2000.

Link para compra na Battle.net (PC)
Link para compra no Nintendo Switch
Link para compra na Xbox Store

Diablo II Ressurected estará disponível no PC, Xbox One, Xbox Series S/X, Playstation 4, Playstation 5 e Nintendo Switch, com a possibilidade de migrar seu personagem entre as plataformas. Ainda não possui data de lançamento anunciada, sendo que deve chegar em algum momento de 2021. O jogo está em pré-venda no PC por R$ 179, com uma versão Prime Evil Colection, que inclui Diablo II Resurrected, Diablo III e todas suas expansões, por R$ 279.

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você pesa mais quando escolhe sua plataforma para jogos?

Mais vídeos










O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.