Lucasfilm inicia uso de engine gráfica em filmes

Por Filipe Braga 27/09/2013 14:28 | atualizado 07/04/2020 12:12 Comentários Reportar erro

Ao que tudo indica, ao longo da próxima década, os motores grÁficos dos jogos eletrônicos serão utilizados largamente na indústria cinematogrÁfica, como forma de eliminar a etapa de pós-produção dos filmes.

Um dos primeiros estúdios a utilizar a nova abordagem é a Lucasfilm, responsÁvel, dentre outras obras, pela saga de Star Wars (Guerra nas Estrelas). Durante conferência no Conselho de Estratégia Tecnológica da BAFTA em Londres, o chefe de tecnologia da produtora californiana, Kim Libreri, anunciou que os progressivos aprimoramentos na Área da computação grÁfica permitiram à Lucasfilm, alterar suas técnicas de produção de filmes, transferindo os conhecimentos dos videogames na produção cinematogrÁfica.

De acordo com Libreri, a captura de movimento em tempo real e as engines grÁficas (motores grÁficos) dos jogos eletrônicos serÁ cada vez mais utilizado na criação de filmes, permitindo que os efeitos de pós-produção tradicionais sejam descartados.


(Vídeo mostrando a nova abordagem com engine grÁfica) 

- Continua após a publicidade -

"Todo mundo jÁ viu o que podemos fazer no cinema, e eu acho que a maioria das pessoas concordam que a indústria de videogames estÁ avançando muito rapidamente, especialmente nos títulos da próxima geração de consoles. Tenho certeza que na próxima década, veremos uma convergência em termos das capacidades dos efeitos visuais tradicionais - [como] fazer fogo realista, criaturas e ambientes - mas trabalhando de forma completamente interativa", disse o executivo.

"Pensamos que a computação grÁfica vai ser tão realista em se tratando de grÁficos em tempo real que, ao longo da próxima década, que vamos começar a ser capazes de eliminar a [etapa de] pós-produção, onde serÁ possível deixar o set de filmagem, e a tomada [das cenas] estarÁ bem completa", concluiu Libreri.

A Lucasfilm estÁ tão confiante na tecnologia, que jÁ vem testando a nova abordagem junto com a companhia de efeitos visuais Industrial Light & Magic (ILM), em uma série de protótipos. A primeira experiência foi de um curta, criado em 8 semanas, onde as duas companhias trabalharam juntas para adaptar a atual engine grÁfica do estúdio. Uma das adaptações foi a mudança das técnicas de renderização  para produzir um vídeo não renderizado com efeitos visuais tradicionais em 10 horas um quadro, mas gerado a 24 quadros por segundo. Isso representa 41 milissegundos por quadro, gerado em um motor grÁfico de jogo.

Assuntos
Tags
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Qual vai ser o melhor game de setembro de 2020?

Mais vídeos










O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.