Dentistas japoneses utilizam robôs humanóides como "cobaias"

Por Filipe Braga 03/07/2011 19:38 | atualizado 07/04/2020 12:12 Comentários Reportar erro

Para quem ainda não acredita no "futuro" dos andróides, aí vai uma notícia que poderÁ deixar muita gente de "cabelo em pé".

Três universitÁrios japoneses em conjunto com a companhia nipônica Tmsuk criaram uma robô humanóide chamada Showa Hanako 2 que promete fazer sucesso nas faculdades de odontologia em todo o mundo.

A andróide que tem a textura que imita a pele e demais tecidos do ser humano, como língua e dentes, é capaz de abrir e fechar a boca, mover a língua, balançar a cabeça, piscar os olhos, espirrar, engasgar, revirar os olhos, e (pasmem) até mesmo reclamar ao dentista com um clÁssico "Ouch! Dói!". A propósito: para dar um "aspecto" mais realista à robô, os estudantes recorreram à Orient Industry, companhia responsÁvel pela fabricação de bonecas eróticas.

- Continua após a publicidade -

A idéia dos criadores é auxiliar no desenvolvimento da formação dos estudantes de odontologia. Contudo, a Tmsuk avisa aos acadêmicos que a utilização de Água na "paciente" cibernética causarÁ graves problemas à sua "saúde".

De acordo com Koutaru Maki, professor da Faculdade de Odontologia de Showa no Japão, o uso de um robô humanóide faz muita diferença aos estudantes, uma vez que os acadêmicos experimentam o mesmo tipo de tensão como se estivessem tratando de um ser humano, com a vantagem de que o erro não causarÁ problema algum ao paciente.

A firma de fabricação de produtos para a Área da saúde, Yoshida Dental Manufacturing, informou que começarÁ a venda da Showa Hanako 2 no Japão ainda em 2011.

Assuntos
Tags
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Qual vai ser o melhor game lançado em maio de 2020?

Mais vídeos










O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.