Intel Chipset X79

O lançamento da nova plataforma socket LGA 2011 da Intel tem como base o lançamento do chipset X79. Abaixo podemos ver as principais características do chipset.

A linha Sandy Bridge-E compartilha muitos recursos da linha corporativa Xeon, traduzindo em outras palavras, que a nova geração possui e necessita de alguns ajustes para acomodar um processador de características bem robustas.

Desta forma, é bastante natural supor que o jÁ cansado chipset X58 (lançado em 2008) não fosse mais suficiente para suprir todas as demandas da nova geração. Dito isso, a Intel preparou um chipset ainda mais reforçado, capaz de suportar os recursos do SNB-E. Para tanto necessitou de bem mais do que 1366 pinos presentes no socket atual, passando para 2011. Vale ressaltar que cada pino confere uma conexão para parte da CPU, que alimentarÁ algum de seus recursos.

A primeira grande novidade é sem dúvidas o suporte ao badalado PCI Express 3.0. Desta forma, o conjunto X79 + SNB-E dobra a largura de banda em relação ao atual padrão de mercado, garantindo assim um fluxo de dados de 1GB/s por linha por direção.

- Continua após a publicidade -

Com um total de 40 linhas PCIe, os sistemas equipados com os processadores Sandy Bridge E suportam uma configuração bem maior e mais robusta de multi VGAs (e demais dispositivos), com é o caso de duas Placas 3D em x16 e uma em x8, ou uma VGA x16 e três em x8 ou ainda uma em x16, duas em x8 e outros dois dispositivos em x4. Trata-se de um grande diferencial em relação aos atuais processadores LGA 1155 com os conjuntos P67/H67/Z68, que suportam 16 linhas de dispositivos PCI Express 2.0(apesar de termos diversas mainboards com suporte a PCI-Express 3.0 devido utilizarem um chip de terceiro para suporte a tecnologia).

Devido ao atraso na chegada das primeiras VGAs PCIe 3.0, a Intel não teve como certificar o padrão PCI Express 3.0, colocando assim no material de divulgação, as referências à geração 2.0.

Apesar do atraso no lançamento das primeiras GPUs PCIe 3.0, a presença do suporte de tal recurso representarÁ um alto grau de escalabilidade para o usuÁrio, além de garantir maior vida útil ao sistema.

Ainda que seja um recurso presente no die do processador, o X79 estÁ apto para conferir o mÁximo para a interface de memória quad channel de 256 bits. Trata-se de um expressivo avanço sobre os 128 bits dos atuais Core ix 2000 e mesmo dos 192 bits da linha Gulftown(processadores TOP socket 1366).

- Continua após a publicidade -

Aliado ao uso de memórias mais velozes de 1600 MT/s, a largura de banda do sistema pulou de 25,6 GB/s para 51,2 GB/s. Vale ressaltar que o uso de memórias DDR3-1600Mhz são apenas possíveis ao utilizar apenas um módulo de cada canal. Ao utilizar dois módulos por canal, esse número cai para 1333Mhz.

Vale ressaltar que a depender da fabricante de placa mãe, o usuÁrio terÁ a sua disposição até 8 slots para memória, em uma configuração descomunal de 64GB de RAM a disposição(Apesar do chipser suportar 128GB, mas como não existe módulos de 16GB, tal configuração ainda não é possível).

Ainda não estÁ muito claro o motivo do "downgrade" nas especificações do X79, mas a princípio, o novo chipset estava programado para suportar até 14 portas de conectividade para dispositivos de armazenamento, sendo 6 delas do tipo SATA (2x6Gbps e 4x3Gbps), ficando as demais para controladores integrados, como é o caso das portas SAS de Gbps.

Pelo que se comenta nos bastidores é que a Intel pretende disponibilizar em 2012 tais suportes. Assim, o X79 oferece as mesmas 2 portas SATA de 6Gbps e 4 SATA de 3Gbps presentes, por exemplo, nos chipsets P67. AliÁs, a estrutura do chipset, conforme pode ser visto na imagem acima é muito semelhante ao P67, como é o caso das 14 portas USB 2.0, a conexão integrada Ethernet MAC, Áudio HD e as 8 linhas do PCIe 2.0.

Outras ausências referem-se ao USB 3.0 e ao recurso RST (Rapid Storage Technology). Contudo, no primeiro caso, esse fato é minimizado pela adição de controladores de terceiros, enquanto que no segundo, o X79 ganharÁ compatibilidade com o RSTe 3.0 (corporativo) que aumentarÁ a proteção dos dados e das informações dos servidores e estações de trabalho, assim que a Microsoft liberar os drivers nativos AHCI.

Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

Escolha sua arma:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.