No embalo do final do ano, iPads falsos inundam o comércio

Na tentativa de ganhar dinheiro rÁpido com a proximidade do Natal, criminosos aproveitam o interesse das pessoas pelo iPad e e vendem portÁteis falsos e  não homologados.

Para a empresa de proteção de marcas MarkMonitor, a Apple é a principal marca de tablets atingida pelos golpistas, geralmente baseados na China. Eles vendem os aparelhos pela Internet e, inclusive, listam outros clones de empresas diferentes.



Em apenas um dia, a companhia chegou a descobrir mais de 20 mil listagens de clones, cópias suspeitas ou tablets do mercado ilegal. Os sites responsÁveis pela venda desses produtos recebem mais de 75 milhões de visitantes anualmente. A MarkMonitor ainda identificou 15 fabricantes de clones e quase 8 mil vendedores individuais. Desse total, 766 estavam vendendo tablets falsificados em grandes volumes.

Uma das tÁticas dos golpistas é a de utilizar fotografias do produto verdadeiro sem mencionar a marca do aparelho. Para evitar cair na armadilha, preste atenção nos preços. Por mais que ofertas de descontos sejam bem-vindas e confiÁveis em muitos sites, neste caso os valores são muito inferiores ao original. No caso específico do Brasil, é bom ficar de olho em locais "suspeitos", como a Santa Ifigênia, em São Paulo, além de sites de leilão, onde é corriqueira a prÁtica da venda de aparelhos falsos.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.