Brasileiros levam robôs lutadores para torneio internacional

MÁquinas com quase 100Kg arremessam umas às outras em uma arena blindada, com direito a destroços, fogo e uma entusiasmada plateia na torcida. Pode parecer um cenÁrio perfeito para um filme de ficção. Mas é uma competição real, que jÁ rendeu 25 prêmios mundiais para um time de brasileiros.

A equipe RioBotz, do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), prepara seu robô mais potente, o Touro Maximus, para combater no sexto torneio anual ComBots Cup Robot ComBat Championship, que ocorre nos dias 29 e 30 de outubro em San Mateo, na Califórnia. A equipe é atual tricampeã mundial na categoria "Feather", com robôs de 30 libras (algo em torno de 13Kg). Agora, o desafio é tornar Maximus, de 220 libras, o equivalente a cerca de 100Kg, um campeão.



A equipe, formada por 16 pessoas, estÁ desenvolvendo a mÁquina desde o final de maio. Com um formato achatado, o Touro Maximus tem uma lâmina de aço na parte frontal que gira a 8 mil rotações por minuto. Mais do que suficiente para arremessar o oponente para longe, o que exige uma proteção especial no "ringue".



"Usamos o formato achatado, pois é o que mantém o centro de gravidade o mais baixo e deixa o robô mais compacto (leia-se rígido) para aguentar o impacto da arma do adversÁrio e a reação da sua própria arma", explica Hugo Tristão, um dos integrantes da equipe e estudante do sexto semestre de engenharia de controle e automação. O estudante compara o efeito ao "recoil" que ocorre quando se atira com uma arma de fogo.

Não é só de títulos internacionais que a RioBotz se orgulha. A equipe também coleciona 26 medalhas nacionais, totalizando 51 títulos conquistados em pouco mais de oito anos de existência. Os estudantes irão tentar aumentar esse número a partir de amanhã (07/10), na competição de robótica Winter Challenge 2011, que ocorre até o dia 9.

A equipe pretende repetir os bons resultados de 2010, quando conquistou oito troféus: quatro de ouro, três de prata e um de bronze, nas categorias sumô, peso médio, peso pena e hóquei. Cerca de 30 equipes, mais da metade universitÁria, disputam medalhas na competição.



O grande desafio serÁ na categoria peso pena, na qual dois robôs que, juntos, totalizam o peso exigido pela categoria, combatem contra um único "inimigo" maior. Na edição de 2009 do campeonato, os dois pequenos venceram a luta. Para este ano, no total, os alunos reformaram 14 robôs para que todos pudessem ter maior potência e durabilidade durante as batalhas.

A RioBotz é composta, em sua maioria, por alunos que estão hÁ menos de um ano na universidade. Para o coordenador da RioBotz e professor do CTC/PUC-Rio, Marco Antonio Meggiolaro, participar de uma competição como essa é um estímulo para os novos alunos. "A Robótica é uma ciência multidisciplinar que fornece bases para a aplicação de diversas engenharias, dentre elas a Elétrica, Mecânica e de Computação. O aluno aprende um pouco sobre todas essas Áreas e, principalmente, como integrÁ-las", afirma.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Bingo pré-lançamento Radeon RX 6000. A Big Navi vai ser:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.