Dispositivos portáteis com dados pessoais valem mais de US$30 mil, estimam usuários

Quanto vale seu smartphone ou notebook? Talvez uns R$2 mil. Mas quando se pensa em perder o aparelho com todas as músicas, fotos, dados, senhas e outra infinidade de informações pessoais, o prejuízo pode chegar a US$37 mil, como estimaram os três mil consumidores de dez países que participaram de uma pesquisa da McAfee em conjunto com a MSI.

Só nos Estados Unidos, as pessoas deram ainda mais valor aos seus aparelhos, em uma cifra superior a de qualquer outro país, próxima dos US$55 mil.



"A maioria dos pais sequer sonharia em deixar uma pilha de fotos de seus filhos, extratos bancÁrios da família, senhas e outros dados pessoais simplesmente disponíveis para qualquer estranho examinar", afirma Jennifer Jolly, especialista em tecnologia de consumo. "Mas é isso que você estÁ pondo em risco quando você anda por aí com smartphones, tablets e outros dispositivos digitais desprotegidos", alerta.

Memórias pessoais, como fotografias, são os dados considerados pela maioria (73%) "impossíveis de recuperar" caso perdidos. Os participantes avaliaram o valor desses arquivos em uma média de US$18,9 mil, cifra bem elevada se comparada, por exemplo, às informações ligadas ao trabalho, estimadas em US$3,7 mil.

Mesmo com o alto valor emocional e financeiro das informações armazenadas em diversos aparelhos portÁteis, menos da metade dos entrevistados adquiriram uma solução de segurança e 86% consideraram um dinheiro bem gasto. Porém, 32% dos consumidores que não utilizam nenhuma solução de segurança acreditam que não precisam de softwares desse tipo. Desses, 31% apontou o custo como um fator impeditivo na hora de adotar essas medidas.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.