O Brasil fica em 5º lugar no ranking global de pirataria de software online

Segundo a BSA (Business Software Alliance) no primeiro semestre deste ano, o Brasil ficou em quinto lugar no ranking global dos países que pirateiam software online. Perde apenas para os Estados Unidos, ItÁlia, França e Espanha. No ano passado, os fabricantes de software tiveram um prejuízo de US$ 2,62 bilhões no Brasil. Este estudo também informa que mesmo com a diminuição da pirataria no Brasil, essas infrações são maiores do que as registradas pelas autoridades responsÁveis.

No ano passado, os fabricantes de software no Brasil, arcaram com o prejuízo de US$ 2,62 bilhões, contra US$ 2,25 bilhões em 2009.

Operação de combate à pirataria e apreende 1,1 milhão de produtos no BrÁs

Realizada na Feira da Madrugada, localizada no centro da capital paulistana, a operação de combate à pirataria apreendeu 1,1 milhão de produtos irregulares. Segundo a Secretaria Urbana de São Paulo foram fiscalizados 2.700 boxes e ao todo 300 agentes da prefeitura trabalharam nesta operação. Durante a fiscalização, cerca de 40 estrangeiros irregulares foram identificados e encaminhados às autoridades responsÁveis.

O secretÁrio de Segurança Urbana de São Paulo, Edson Ortega, a operação levarÁ alguns dias para ser finalizada, e não descarta que a feira seja parcialmente aberta antes do término da fiscalização.

A data de reabertura da feira serÁ definida pelas Secretarias do Desenvolvimento Econômico e de Coordenação das Subprefeituras.

Polícia recolhe quatro toneladas de CDs e DVDs piratas em Ribeirão Preto

No Dia Nacional de Combate à Pirataria, a Polícia Civil de Ribeirão Preto, cidade do interior paulista, em parceria com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) apreenderam quatro toneladas no centro popular da cidade. Dentre os produtos falsificados, mídias eletrônicas, camisetas, óculos e celulares foram recolhidos. A operação que teve a participação de 84 policiais e representantes das associações que representam as marcas originais dos produtos apreendidos, teve como resultado 112 boxes revistados, 7.000 mídias pirateadas, o que representam quatro toneladas.

Para realizar esta operação e apreender os produtos nestas condições, o Gaeco obteve mandatos judiciais de busca e apreensão, que foram cumpridos em conjunto com promotores de justiça.       

Operações de combate à pirataria foram realizadas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e ParanÁ

Segundo dados fornecidos pela ABES, Associação Brasileira das Empresas de Software, que apoia as entidades responsÁveis pelas ações antipirataria registraram que no mês de agosto, 63.167 mídias falsificadas foram recolhidas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e ParanÁ. A maior apreensão aconteceu no Rio de Janeiro, com 24.683 CDs e DVDs ilegais. No estado do ParanÁ, apreenderam 22.817 mídias falsas, contra 15.667 recolhidas no estado de São Paulo.

No total foram 48 operações no mês de agosto, que fecharam sete locais que comercializavam produtos ilegais. Fechando as ações realizadas no mês passado, as autoridades legais também fiscalizaram a internet. Neste monitoramento, 425 sites e 189 anúncios ilegais foram localizados e removidos. Dos 15 sites fiscalizados, 13 foram apreendidos.

Mercado musical perde seu valor com a pirataria

A renda gerada por downloads ilegais de músicas multiplicaram-se por 10 nos últimos sete anos. Segundo a IFPI - Federação Internacional da Indústria FonogrÁfica de Londres, esta forma de pirataria resultou na perda de quase um terço do valor no setor musical. Para Frances Moore, diretora executiva da Federação Internacional, este cenÁrio representa que 95% dos downloads de músicas feitos pela internet são ilegais, e tem causado um efeito demolidor no emprego, que pode perder até 1,2 milhão de postos de trabalho por causa da pirataria. Apesar dos ganhos de R$ 10 milhões que o negócio musical arrecadou em 2010, a IFPI afirma que ainda hÁ muito trabalho a fazer em lugares como a Espanha, onde os índices de pirataria digital superam os 95%.

Intel lança chip antipirataria que permitirÁ a distribuição de filmes pela internet

A Intel criou um microprocessador, da família de chips Sandy Brigde, que vai melhorar a qualidade da imagem e permitir que as empresas de cinema possam distribuir filmes pela internet. Estes chips permitirão que empresas como a Warner Bros que evitava divulgar seus filmes na rede online, agora possa com esta solução ter maior segurança e melhor qualidade das imagens de filmes e jogos vistos pela internet. Os estúdios de cinema que trabalharam com a Intel para desenvolver este dispositivo, oferecerão seus filmes para computadores equipados com os chips Sandy Bridge por meio de serviços de difusão online, que poderão ser redirecionadas do computador para o aparelho de TV. Além de beneficiar a indústria do cinema, estes chips também poderão gerar sistemas de reconhecimento dos movimentos, o que é promissor para o mundo dos jogos.

Assuntos
Tags
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.