Vazam os vazamentos do Wikileaks

O Wikileaks sofreu com aquilo que é sua especialidade: divulgar informações confidenciais. Todo os arquivos secretos do grupo liderado por Assange estão circulando pela internet, sem edições.


Assange e Leigh trocam acusações de quem foi o responsÁvel pelo vazamento

Segundo o próprio Julian Assange, a missão do Wikileaks não é simplesmente divulgar as informações, e sim separar aquelas que realmente façam a diferença. Mas o problema é que este vazamento vai muito além de uma "falta de edição".

"Nosso relacionamento com o WikiLeaks estÁ baseado no acordo que nós podemos redigir estas coisas, e nada serÁ publicado que não seja cuidadosamente redigido por razões de segurança pessoal", afirmou David Leigh do jornal The Guardian. Segundo ele, as informações completas colocam em risco diversas pessoas, e por isto era preciso selecionar cuidadosamente quais dados seriam publicados. Entre as informações estÁ inclusive nomes dos responsÁveis pelo vazamento de dados.

Segundo Leigh, o WikiLeaks é o responsÁvel pela divulgação das informações brutas. Assange rebate afirmando que foi o jornalista que divulgou a senha necessÁria para acessar os dados, em um livro sobre o Wikileaks.

- Continua após a publicidade -

De acordo com o professor de jornalismo C. W. Anderson, este tipo de colaboração funciona com três pilares: a pessoa dentro da organização, que pretende vazar os dados, os hacktivistas, capazes de fazer circular e armazenar grandes quantidades de informação, e a mídia, disposta a apurar e organizar estes dados para publicar os vazamentos. A divulgação dos dados brutos abala esta cooperação, pois tornou os responsÁveis pelo vazamento vulnerÁveis ao serem expostos, além de criar desconfiança entre a mídia e WikiLeaks. "As coisas não voltaram mais como eram antes", afirma Anderson que afirmou que "the horse is out of the barn", o que poderíamos colocar, em bom português: "a vaca foi pro brejo".

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.