Foxconn vai usar 1 milhão de robôs para substituir empregados

A Foxconn, conhecida por suas prÁticas trabalhistas nada amigÁveis, pretende substituir parte da sua força de trabalho por um milhão de robôs em três anos – o que deve ser bom para a empresa, jÁ que as mÁquinas podem trabalhar por 60 horas semanais ou mais sem morrer de exaustão.



O problema é que, com isso, cerca de 1,2 milhão de pessoas que trabalham na fÁbrica podem ficar sem seus empregos. Atualmente, a companhia conta com uma frota de dez mil robôs.

As notícias sobre a Foxconn não costumam ser muito otimistas. A firma jÁ sofreu com uma explosão que matou três pessoas e, ao longo de 2010, foram registrados 17 suicídios, o que gerou rumores de que a companhia estava fazendo seus funcionÁrios assinarem pactos contra a prÁtica.

No final de julho, faleceu mais um empregado da fÁbrica, que caiu do sexto andar do dormitório. As mortes costumam ser atribuídas às péssimas condições de trabalho: os funcionÁrios não são remunerados pelas horas extras (superiores a 36 horas mensais) e ainda exercem suas funções sem as precauções e medidas de segurança necessÁrias. SerÁ que os robôs vão aguentar o tranco?

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.