Intel registra receita recorde, mas ainda derrapa nos dispositivos móveis

A Intel divulgou hoje seu quinto semestre com aumento de receita, com um crescimento de 22% em relação ao ano passado. A empresa obteve um aumento de receita na maioria de seus segmentos, caso do PC Client Group, Data Center Group e outras arquiteturas Intel.


A exceção ficou com o setor de chipsets Atom, com a baixa de 15% em relação ao ano passado, mostrando a dificuldade da Intel de se consolidar no mercado de dispositivos móveis, dominado pelos processadors ARM. Outro motivo apontado para esta queda é a perda do mercado dos netbooks por conta do crescimento dos tablets.

Em resposta a esta perda de mercado, a Intel prometeu reinventar os netbooks, com uma nova geração de aparelhos. Os "ultrabooks" seriam aparelhos mais compactos, leves e com poder de processamento superior com chipsets da segunda geração Core (sandy Bridge) e novas gerações do Atom.

Alguns aparelhos desta nova categoria jÁ surgiram no mercado, com o lançamento de notebooks da Asus no exterior e também do serie 9, da Samsung, que jÁ foi lançado no Brasil.

Apesar da retração no mercado de dispositivos móveis, o crescimento dos demais setores, especialmente a venda para clientes corporativos, manteve o aumento de receita da empresa, alcançando três bilhões dólares de lucro no trimestre passado.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.