Novo ataque modifica página inicial do IBGE

A onda de ataques chegou ao Brasil e, pelo visto, estÁ longe de terminar. Na madrugada de hoje, crackers fizeram uma nova vítima, desta vez o site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ataque, os invasores usaram a técnica de defacement, ou seja, conseguiram alterar a pÁgina inicial do site, incluindo uma mensagem com a assinatura do grupo responsÁvel.

"Este mês, o governo vivenciarÁ o maior número de ataques de natureza virtual na sua história feito pelo Fail Shell", diz o texto deixado no site. "Entendam tais ataques como forma de protesto de um grupo nacionalista que deseja fazer do Brasil um país melhor. Tenha orgulho de ser brasileiro, ame o seu país, só assim poderemos crescer e evoluir!"



O grupo também negou qualquer relação com o Anonymous e com o LulzSec, alegando que tais equipes não têm "qualquer ideologia". O LulzSec Brazil, no entanto, continua na ativa. Após realizar um ataque DDoS (negação de serviço) contra os sites do governo e da presidência do país na madrugada do último dia 22, os crackers voltaram a atacar, tirando do ar o portal da presidência durante a tarde de ontem (23/06).

Conforme a BBC, os invasores ainda vazaram através do Twitter um arquivo com supostos dados retirados dos sites do governo. O Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados, o órgão responsÁvel pelos principais sistemas do governo federal), porém, assegura que não houve nenhuma tentativa de acesso ao banco de dados do site.

Outros sites que sofreram com as ações do LulzSec Brasil incluem os da Petrobras, da Receita Federal e do Ministério do Esporte. O grupo diz ser uma espécie de filial brasileira do jÁ conhecido LulzSec, que arquitetou ataques contra a Sony Pictures e organizações importantes dos Estados Unidos, como a CIA.

Essa onda de investidas contra sites conhecidos, seguidas de anúncios em redes sociais e mensagens de ameaça e auto-afirmação deixam no ar uma questão: até quando é vÁlido dar importância a essas ações e divulgÁ-las, ao passo que parece ser isso mesmo que os crackers buscam? É certo que, ao menos, isso pode abrir os olhos dos administradores de sistemas a implantar políticas mais fortes de segurança, mas, por outro lado, abrem precedentes para ataques sem fundamento, que têm como maior motivação emplacar notícias e dar aos crackers alguns minutos de fama.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual você acha melhor?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.