Spammers criam falsos encurtadores de URL

Os disseminadores de spam acabam de criar mais uma técnica para espalhar mensagens indesejadas: a criação de seus próprios serviços falsos para encurtamento de links. Com isso, os spammers conseguem burlar mecanismos de verificação dos encurtadores legítimos.

De acordo com o relatório "MessageLabs Intelligence" da Symantec, essa nova atividade contribuiu para o aumento de 2,9% no volume de spam neste mês, uma retomada desde a desativação da botnet Rustock, em março.


Nesse esquema, os links criados nesses falsos sites para encurtamento de URL não são incluídos diretamente nas mensagens de spam. Em vez disso, os e-mails contêm URLs encurtadas em sites legítimos. Esses endereços levam para um site falso que, por sua vez, redireciona para o próprio endereço virtual do spammer.

"O que é único a respeito desses novos sites de encurtamento de URL é que os spammers estão tratando-os como um 'passo intermediÁrio' – um link entre os serviços públicos de encurtamento de URL e os próprios sites dos spammers", explica Paul Wood, analista sênior do MessageLabs Intelligence.

Esses domínios foram registrados vÁrios meses antes de serem usados. Conforme a Symantec, a prÁtica provavelmente é uma forma de evitar a detecção por parte dos serviços autênticos, jÁ que a idade do domínio pode ser usada como um indicador de legitimidade.

"Com serviços legítimos de encurtamento de URL tentando combater abusos mais seriamente, os spammers parecem experimentar novas maneiras de criar seus próprios serviços para evitar interrupções", aponta Wood. "No entanto, enquanto estiverem surgindo mais serviços de encurtamento de URL, devemos esperar que os spammers continuem explorando-os", completa.

Em maio, a média de spam global foi de um a cada 1,32 e-mails, atingindo 75,8%. A Rússia foi o maior alvo, com um índice de 82,2%.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual o seu palpite para os preços dos consoles da próximo geração?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.