Testamos a versão 11.04 do Ubuntu (Natty Narwhal)

A Canonical lançou ontem (29/04) nova versão do sistema operacional baseado em kernel Linux, o Ubuntu. Uma das principais mudanças do sistema é a mudança de interface grÁfica, utilizando o Unity, no lugar do Gnome.

Logo de cara o Unity apresenta diferenças significativas. Quem estava acostumado com a organização dos menus no topo precisa se acostumar com uma nova distribuição. O primeiro elemento que chama a atenção é o menu a esquerda, com ícones grandes. Esta barra atua mostrando aplicativos fixos (ao estilo do que estÁ presente no Windows 7) e os que estão abertos. Quando um programa esta maximizado, esta barra fica oculta, bastanto colocar o mouse na base esquerda para a barra reaparecer.

Outra diferença é que as janelas maximizadas integram as opções extras, que nas versões anteriores ficavam localizadas no topo da janela, logo abaixo da borda superior. Este recurso é unido com a barra preta no topo do sistema na versão 11.04. Estas opções ficam ocultas, surgindo quando o usuÁrio posiciona o mouse sobre o título.

- Continua após a publicidade -

As configurações de sistema foram movidas, ficando junto com o botão "power on/off", no topo direito da tela. Para buscar outros aplicativos é preciso clicar no símbolo do Ubuntu, no topo esquerdo, que abre uma nova tela com os programas mais usados e uma barra de busca. Ao digitar um termo, o sistema aponta os aplicativos com nome semelhante, e jÁ sugere programas disponíveis para download através da Ubuntu Sofware Center.


O sistema de download de aplicativos do sistema lembra a organização dos sistemas de lojas de aplicativos de smartphones, como a Apple Store e o Android Market, com ranking dos aplicativos e divisão por Áreas. Para os old school, o gerenciador de pacotes Synaptic continua disponível nas configurações do sistema.

No geral o Unity deixou o visua do sistema mais limpo, e com vÁrios recursos sendo inseridos em menos espaço, o que acaba justificando o fim de uma versão especializada para netbooks do sistema. O Ubuntu em sua versão para desktops passou a fazer um melhor aproveitamento da tela.

Com relação aos aplicativos, o Firefox em sua versão 4 é o navegador padrão, enquanto o Banshee passa a ser o programa padrão para reprodução de músicas. HÁ uma integração entre o programa e a interface do sistema, com direito a icones de atalho do programa na configuração de som, no topo direito da tela. O Ubuntu vem com o LibreOffice instalado, o que apesar do nome diferente, é a aplicação que os usuÁrios jÁ estavam acostumados em versões anteriores do sistema, com o nome de OpenOffice.

- Continua após a publicidade -

A instalação, como vÁrios elementos, continuam bastante user friendly, com avanços como mais opções de configurações na hora da instalar o sistema. O usuÁrio poode fazer o upgrade da versão anterior, apagar a versão antiga e instalar a nova (ambas mantendo outros sistemas presentes no HD intactos), apagar todos os sistemas no computador e instalar somente o Ubuntu 11.04 e uma opção avançada, com uma interface grÁfica para fazer as partições do computador.


Com vÁrios avanços, especialmente na forma como organiza seus recursos, o novo Ubuntu ficou mais amigÁvel para os usuÁrios leigos, com uma distribuição interessante dos recursos. Os hard users acostumados com as intefaces anteriores vão precisar se habituar com a nova organização, mas no geral as funcionalidades do sistema são bastante parecidas, com melhorias em sistemas como o Banshee e o Empathy, este último o sistema de mensagens instantâneas. Uma melhor integração com o Facebook também foi adicionada, além do login integrado no sistema do Twitter.

De incomodo, apenas fica a barra fixa à esquerda e a outra no topo. O sistema não apresenta opções visíveis para mudar a posição dos recursos, não sendo fÁcil customizar a interface do SO neste aspecto. O narval garboso é um sistema que vale a pena, pelo menos para um teste, jÁ que dÁ para rodÁ-lo diretamente de um CD ou mesmo rodÁ-lo em dual boot com o sistema jÁ presente no computador, sem dificuldades de instalação..

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Qual você acha melhor?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.