Apple remove da App Store aplicativo que pretendia "curar gays"

A Apple removeu da AppStore o controverso aplicativo da Exodus International que se dizia capaz de "curar" homossexuais. Mais de 146 mil pessoas solicitaram a remoção do aplicativo à empresa.

A organização religiosa que criou o aplicativo respondeu em seu blog. O seu presidente, Alan Chambers disse: "Nós estamos extremamente desapontados com a decisão da Apple de negar representação igual na esfera pública. A discriminação de pensamentos e crenças obstrui o diÁlogo e a diversidade autêntica." Ele ainda pediu aos seus seguidores para pedirem para a Apple "reconhecer a diversidade de crenças" e recolocar o aplicativo na App Store. "Nós esperamos que a Apple reconsidere sua decisão e permita que nossa organização possa ser parte da conversa sobre os problemas desafiadores que muitos enfrentam hoje.

O representante da Truth Wins Out, uma das organizações que pediu à Apple a remoção do aplicativo, diz, porém, que "esta não é uma questão de liberdade de expressão, mas de impedir uma virulenta organização anti-gay de espalhar um discurso falso às custas da vulnerÁvel juventude LGBT."

Assuntos
Tags
  • Redator: Alexandre Lunelli

    Alexandre Lunelli

    Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Alexandre é um entusiasta da fotografia, música, e demais áreas que não cansem muito. Fã da comunidade opensource, e sonha com um mundo mais bonito, igualitário e sem o trabalho, mal que corrompe a humanidade.

A Activision acertou ao colocar músicas do Charlie Brown Jr. no Tony Hawk's 1+2

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.