Microsoft e autoridades internacionais desativam a botnet Rustock

A botnet Rustock, que infectou cerca de um milhão de computadores, sofreu um duro golpe esta semana. A Microsoft anunciou que conseguiu fechar diversos servidores da rede, com o auxílio do governo dos Estados Unidos. Segundo especialistas, a botnet foi responsÁvel por até 40% do fluxo de spams na internet.


Havia um forte interesse da Microsoft em fechar a rede Rustock que incluía, em vÁrios de seus spams, malwares que exploravam falhas de segurança de programas como o Office. Também era responsÁvel por boa parte dos spams enviados a usuÁrios do serviço de e-mail Hotmail.

Quer aprender mais sobre as redes botnets? Veja o especial: Rede botnets: o ataque dos computadores zumbi.

Outras empresas também apoiaram a ação, como a Pzifer, que era prejudicada com comerciais falsos de diversos de seus produtos enviados pela Rustock. Autoridades holandesas e chinesas também auxiliaram na operação que desativou a botnet.

- Continua após a publicidade -

Segundo a Symantec, as atividades da rede Rustock pararam depois das 11h30 desta quarta-feira (16/03). Analistas veem com cautela os efeitos do fim da rede botnet, jÁ que nos últimos tempos outras redes de envio de spams tornaram-se quase tão ativas quanto a Rustock. Por hora, nem pensem em desligar o filtro anti-spams de seus e-mails.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Qual vai ser o melhor game lançado em maio de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.