Exército dos EUA vai usar perfis falsos em redes sociais para propaganda

As forças armadas dos EUA estão desenvolvendo um software que permitirÁ que elas secretamente manipulem redes sociais usando perfis falsos para influenciar os diÁlogos nas redes e espalhar propaganda pró americana, de acordo com o jornal inglês The Guardian.

Uma empresa da California foi contratada pelo United States Central Command (Centcom), que supervisiona as operações armadas dos EUA no Oriente Médio e Ásia Central, para desenvolver um sistema descrito como "serviço de gerenciamento de perfis online" que permitirÁ que apenas um funcionÁrio controle até 10 identidades separadas, que estariam, teoricamente, localizadas em diversos locais pelo mundo, em diferentes redes sociais.

Especialistas em internet têm comparado o projeto à tentativa chinesa de controlar e restringir a liberdade de expressão na internet. Os críticos estão preocupados com a possibilidade de que o projeto crie um falso consenso nas discussões online, ofuscando opiniões indesejadas e sufocando comentÁrios ou relatos que não correspondam com os objetivos dos EUA.

A descoberta de que as forças armadas americanas estão criando falsas personalidades online - conhecidos como perfis fake - também pode encorajar outros governos, empresas privadas e organizações não governamentais a fazerem o mesmo.

- Continua após a publicidade -

O contrato feito pelo Centcom estipula que cada personalidade online deve ter um background convincente, com histórico e outros detalhes que o tornem mais verossímeis, para que até 50 pessoas nos EUA possam operar as identidades de suas estações de trabalho "sem medo de serem descobertos por adversÁrios sofisticados."

O Comandante Bill Speaks, porta-voz do Centcom, disse que "a tecnologia permite atividades em blogs de língua estrangeira e possibilita ao Centcom conter propaganda extremista violenta e de inimigos fora dos EUA."

O contrato de desenvolvimento do sistema é parte de um programa chamado Operation Earnest Voice (OEV), que foi introduzido no Iraque como uma forma de arma psicológica contra a presença online de apoiadores da al-Qaida e outros opositores das forças de coalisão. Desde então, o OEV foi expandido e transformado em um programa de US$ 200 milhões usado contra opositores dos EUA no Paquistão, Afeganistão e outros países, especialmente do oriente médio.

O OEV é considerado por Comandantes dos EUA como um programa vital contra o terrorismo. O General David Petraeus, ex-comandante do Centcom, descreveu a operação para o senado com um esforço para conter a ideologia e propaganda extremista e assegurar que vozes críveis da região sejam ouvidas." Este mês, o sucessor de Petraeus, o General James Mattis, disse ao senado que o OEV "suporta todas as atividades associadas com a degradação da narrativa inimiga, inclusive engajamento web."

O serviço de gerenciamento de perfis online pode enfrentar problemas judiciais se usado contra cidadãos americanos, jÁ que no país hÁ vÁrias pessoas sofrendo processos por utilizarem perfis falsos em redes sociais. No ano passado, um advogado nova iorquino que se passou por um estudante foi sentenciado a prisão após ser acusado de uso de identidade falsa e "criminal impersonation", um crime previsto na legislação americana que designa o ato de se fazer passar por alguém com o intuito de cometer um crime.

Assuntos
Tags
  • Redator: Alexandre Lunelli

    Alexandre Lunelli

    Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Alexandre é um entusiasta da fotografia, música, e demais áreas que não cansem muito. Fã da comunidade opensource, e sonha com um mundo mais bonito, igualitário e sem o trabalho, mal que corrompe a humanidade.

Qual vai ser o melhor game lançado em maio de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.