Créditos: universal.org

Vício em jogos já atinge 2% da população mundial, diz estudo

A OMS vem trabalhando intensamente no que foi chamado de "gaming disorder"
Por Saori Almeida 26/10/2021 13:56 | atualizado 26/10/2021 13:56 Comentários Reportar erro

De acordo com um estudo publicado no Jornal de Psiquiatria da Austrália e Nova Zelândia, quase 2% da população mundial já sofre com o que foi apelidado de "gaming disorder". Isso seria o vício em jogos ao ponto de ser prejudicial para a saúde mental das pessoas.

Como explica o psiquiatra Daniel Spritzer à CNN, "a Organização Mundial de Saúde (OMS) vem trabalhando bastante em relação a isso e, em 2018, acabou incluindo na 11ª edição da Classificação Internacional de Doenças (CID 11) a chamada ‘gaming disorder'”. Esse quadro psicológico já estaria afetando cerca de 154 milhões de pessoas.

“É super importante pensar em prevenção e ter um olhar mais amplo e mais complexo para outras questões de saúde mental, como depressão, ansiedade, outros problemas emocionais que podem acabar aumento o risco de as pessoas se envolverem com os jogos de maneira mais intensa e problemática” - Daniel Spritzer.

“É super importante pensar em prevenção e ter um olhar mais amplo e mais complexo para outras questões de saúde mental, como depressão, ansiedade, outros problemas emocionais que podem acabar aumento o risco de as pessoas se envolverem com os jogos de maneira mais intensa e problemática” - Daniel Spritzer.

Menores de idade só poderão jogar durante 1 hora por dia em Kagawa, no Japão

Menores de idade só poderão jogar durante 1 hora por dia em Kagawa, no Japão
O tempo aumenta para 90 minutos nos finais de semana e feriados

Vale destacar aqui que a "gaming disorder" não é sinônimo de ser "gamer". O quadro envolve o vício, que é um hábito repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo real ao viciado e aos que com ele convivem. Devemos lembrar que jogos também são benéficos à saúde e no desenvolvimento das pessoas, desde que não afete negativamente, às vezes de forma extrema, a vida desses jogadores.

“É muito ruim quando o jogo deixa de ser um prazer e efetivamente se torna uma obrigação. O jogo é para se divertir. Eu comecei a jogar quando era criança, com o Atari. Sempre foi muito divertido. Até o ponto em que deixou de ser” - Declaração de jovem não identificado para a CNN.

“É muito ruim quando o jogo deixa de ser um prazer e efetivamente se torna uma obrigação. O jogo é para se divertir. Eu comecei a jogar quando era criança, com o Atari. Sempre foi muito divertido. Até o ponto em que deixou de ser” - Declaração de jovem não identificado para a CNN.

- Continua após a publicidade -

O mercado de games vem crescendo exponencialmente e a tendência é que esse crescimento não pare a longo prazo. Segundo estimativa da Game Brasil, consultoria especializada no mercado digital, 7 em cada 10 brasileiros afirmam que jogam games eletrônicos. Além disso, o mercado de games deve alcançar um faturamento de US$ 200 bilhões pelo mundo até 2023.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Via: CNN Brasil
Tags
  • Redator: Saori Almeida

    Saori Almeida

    Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

Qual a sua marca de headphones/headsets para jogos preferida? - Pesquisa de Periféricos 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.