Estúdio pornô dos EUA lança serviço de venda de vídeos na nuvem

As inovações na Área de vídeo acabam invariavelmente chegando ao pornô. A consagração de formatos como VHS, DVD e Blu-ray deve muito a esta controversa, mas adorada - e lucrativa - indústria. Agora, chegou a vez do setor passar a frente de muitas grandes empresas do ramo da tecnologia e investir na nuvem.

O Pink Visual, estúdio pornô conhecido pelo uso de novas tecnologias, serÁ o primeiro estúdio de cinema dos EUA a oferecer um serviço de streaming de vídeo na nuvem, do mesmo tipo que o anunciado por Google e Apple no ano passado.

Ao invés de armazenar os vídeos digitais em seu computador, os clientes da Pink Visual poderão acessar os vídeos que eles compram do estúdio nos servidores da companha, de acordo com o porta-voz da empresa Quentin Boyer. Pagando uma única vez por filme, os compradores poderão acessar os vídeos no site PVLocker.com a qualquer momento.

Fontes da indústria cinematogrÁfica disseram no ano passado que a Apple e o Google teriam entrado em contato com grandes estúdios de Hollywood para lançar um serviço semelhante ao oferecido pelo Pink Visual.

A experiência do PVLocker.com poderÁ no futuro dar um bom feedback sobre a viabilidade deste tipo de serviço. A empresa serÁ a primeira a enfrentar os problemas inerentes aos serviços em nuvem, como estabelecimento de preço, questões de copyright e atendimento à demanda dos consumidores.

Os responsÁveis pelo site jÁ começam a enfrentar os primeiros problemas. HÁ um debate interno na empresa quanto à possibilidade de ceder espaço para armazenamento de filmes de outros estúdios. Ao menos nos primeiros meses, o PVLocker.com armazernarÁ apenas vídeos produzidos pelo estúdio Pink Visual.

Assuntos
  • Redator: Alexandre Lunelli

    Alexandre Lunelli

    Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Alexandre é um entusiasta da fotografia, música, e demais áreas que não cansem muito. É fã da comunidade opensource, e sonha com um mundo mais bonito, igualitário e sem o trabalho, mal que corrompe a humanidade.

Você investiria mais do que o preço padrão por uma edição especial de uma placa de vídeo? Quanto?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.