Créditos: Google

Inspirada na Apple, Google estaria desenvolvendo seu próprio chip ARM para Chromebooks

De acordo com as fontes ouvidas, processadores com arquitetura Google podem ser revelados a partir de 2023

No início de agosto desse ano, a Google anunciou os smartphones Pixel 6 e Pixel 6 Pro. O principal destaque dos aparelhos foi a utilização do chip Tensor, projetado internamente pela empresa.

Pelo visto, esse será apenas o começo de uma série de investimentos em chipsets ARM próprios, que em breve poderão equipar também os novos modelos de Chromebooks

A informação foi publicada nesta quarta-feira (01), pela Nikkei Asia. Segundo as fontes ouvidas pelo veículo, é provável que a Google anuncie esses chips ARM customizados em 2023. O lançamento dos primeiros Chromebooks equipados com eles ocorrerá logo em seguida. 

As mesmas fontes afirmaram ainda que a Google foi “particularmente inspirada” pelo sucesso da rival Apple, com a linha de iPhones, iPads e processadores da série A. A troca recente dos chips Intel x86 para o M1 baseado em ARM, nos MacBooks, também foi visto como um enorme sucesso entre os concorrentes. 

Por que utilizar um processador próprio?

Ao desenvolver o seu próprio chipset, uma empresa como a Google pode otimizar o funcionamento da peça para as suas próprias necessidades, ditando o equilíbrio entre cada unidade, como GPU, CPU, aceleradores de inteligência artificial (IA) e Machine Learning, entre outros fatores. 

- Continua após a publicidade -

Essa foi inclusive a justificativa para o anúncio do novo chip Tensor no Pixel 6, uma vez que ele utilizará IA para acelerar diversas operações cotidianas, como reconhecimento de fala e processamento de imagens. 

De modo geral, chips personalizados também permitem uma maior integração entre os recursos de hardware e software, algo que costuma resultar em mais desempenho, agilidade e menor consumo de bateria. 

Chromebook Google

Por fim, um dos principais motivadores para a troca por chips customizados reside no fato de que a empresa não mais depende de parceiros e do estoque de terceiros para produzir seus aparelhos. Isso significa mais controle sobre a cadeia de produção e possivelmente uma margem de lucro mais elevada. 

Vale lembrar que, além da Apple e da Google, outras empresas já produzem chips próprios, baseados na arquitetura ARM. Dois exemplos bem conhecidos são a Samsung, com a linha Exynos, e a Huawei com seus processadores Kirin.

- Continua após a publicidade -

Novo malware é armazenado na memória da GPU e é indetectável

Novo malware é armazenado na memória da GPU e é indetectável
Projeto criado por acadêmicos foi vendido em fórum hacker

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Via: Mundo Conectado Fonte: Nikkei Asia
Assuntos
  • Redator: Redação

    Redação

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.