Mais de 57 mil sites falsos são criados por semana

A cada semana, cibercriminosos criam mais de 57 mil novos endereços falsos de sites para enganar usuÁrios e, então, roubar os seus dados.

Para isso, mais de 375 marcas de empresas e nomes de instituições reconhecidas mundialmente são usados para manter as fraudes no topo dos resultados dos principais motores de busca, de acordo com um estudo do PandaLabs, laboratório anti-malware da Panda Security.



Essa ameaça exige cuidado dos internautas a acessar sites a partir de pesquisas realizadas na web. Isso porque, através da técnica BlackHat SEO, os cibercriminosos conseguem posicionar os sites maliciosos nas primeiras posições dos resultados. "Sabemos que os sites de busca estão se esforçando para melhorar a situação, ao alterar seus algoritmos de indexação, mas eles não conseguirão fugir da avalanche dos novos endereços que são criados todos os dias", afirma Ricardo Bachert, diretor geral de consumo da Panda Security Brasil.

Além disso, a Panda lembra que muitas das pÁginas falsas têm a aparência idêntica à das originais, o que facilita o roubo de logins e senhas do usuÁrio. O estudo listou os tipos de empresas mais utilizadas pelos exploradores do BlackHat SEO como base para sites fraudulentos. Confira o ranking:

1.    Bancos – 65%
2.    Lojas Online – 26,81%
3.    Fundos de Investimentos e Corretoras – 2,30%
4.    Organizações Governamentais – 1,92%
5.    Plataformas de Pagamento – 1,80%
6.    ISPs – 1,31%
7.    ONGs – 0,45%
8.    Empresas de Telefonia – 0,25%
9.    Logísticas – 0,24%
10.    Jogos – 0,10%
11.    Software – 0,10%

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.