Créditos: Digital Foundry

Doom Eternal tem melhora gráfica drástica com o Ray Tracing

Análise da Digital Foundry mostra em detalhes o uso do RT nos consoles e PC
Por Raphael Giannotti 05/07/2021 17:45 | atualizado 05/07/2021 23:00 Comentários Reportar erro

A atualização trazendo Ray Tracing para Doom Eternal nos PCs e nova geração de consoles chegou semana passada. Enquanto que no PC o jogo recebeu suporte ao DLSS e RT, o PlayStation 5 e Xbox Series X receberam maiores resoluções, altas taxas de quadros por segundo e o próprio Ray Tracing, que foi a novidade principal para o jogo.

Doom Eternal agora conta com reflexos em tempo real em superfícies como água, vidro, metal, plástico e madeira polida. Diferente dos consoles, o PC ainda tem a vantagem do DLSS, sendo possível aproveitar a implementação do Ray Tracing a partir da RTX 2060. Lembrando que as placas de vídeo AMD Radeon RX 6000 têm suporte ao RT, porém sem a possibilidade do uso do DLSS.

O Digital Foundry trouxe uma análise aprofundada sobre a implementação da tecnologia da NVIDIA ao Doom Eternal. Segundo a análise, o jogo utiliza muitos materiais que ajudam a enriquecer os reflexos, como metais e plásticos brilhantes, mesmo que materiais mais opacos ainda se beneficiem da técnica. Alex Battaglia, do Digital Foundry, conta que o RT deixou o jogo bem mais dinâmico em comparação com os reflexos padrão do motor gráfico do jogo "ao ponto em que o ambiente animado reflete perfeitamente nas superfícies apropriadas".

- Continua após a publicidade -

Alex conta que até mesmo partículas de tiros, como da arma BFG, são vistas em reflexos em qualquer superfície próxima junto de outros elementos dinâmicos da cena. O reflexo nos vidros sofrem, até mesmo, com a distorção que aquele vidro possa ter. Se o vidro for arredondado, será possível ver a distorção esticando o que está sendo refletido. "O Ray Tracing é aplicado em cada pixel, então até pequenos objetos de vidro como frascos de vida irá exibir reflexos detalhados se olhar de perto", conta Alex Battaglia.

O Digital Foundry menciona que os reflexos "screen-space", que fazem parte da engine do jogo, estão por cima dos efeitos gerados pelo Ray Tracing, o que traz certa imprecisão se comparado com o uso do RT "puro", mas, por outro lado, traz aumento de desempenho. 

Os consoles lidam com o RT em 1800p dinâmicos, que equivale a qualidade média de reflexos no PC. "Uma GeForce RTX 2060 usando DLSS em qualidade de desempenho escalando 1800p de 900p parece consideravelmente melhor do que ambas as versões dos consoles e não degrada a imagem em resolução dinâmica da forma que acontece com o PlayStation 5 e Xbox Series X".

- Continua após a publicidade -

A análise completa você pode conferir na publicação do Digital Foundry na Euro Gamer ou no próprio vídeo.

  • Redator: Raphael Giannotti

    Raphael Giannotti

    Entusiasta de jRPG, viveu a era de ouro do gênero nos anos 90. Fã incondicional de Zelda e Final Fantasy, hoje garimpa as bibliotecas de PC em busca de jogos épicos como esses. Enquanto não acha, zera tudo (ou quase) o que vê pela frente. Hobby atual: jogar todos os souls-like depois de ter platinado os três Dark Souls. Jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão, gamer desde 1991.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.