Créditos: Meu Xbox

Ex engenheiro da Microsoft faturou mais de US$ 10 milhões vendendo gift cards

O esquema envolve a venda de mais de 120 mil cartões presente
Por Raphael Giannotti 02/07/2021 18:42 | atualizado 02/07/2021 19:23 Comentários Reportar erro

Sabe o ditado "cuspir no prato que comeu"? Foi exatamente o que fez o ex engenheiro de software da Microsoft, Volodymyr Kvashuk. O ucraniano de 26 anos criou um esquema multimilionário envolvendo desvio de milhares de gift cards de Xbox, segundo a Bloomberg. O ex funcionário da Microsoft foi sentenciado a nove anos de prisão.

Volodymyr Kvashuk fazia parte da equipe responsável por achar falhas na loja online da Microsoft, procurando por glitches no sistema de pagamento. Isso era feito através de simulações de compras no próprio sistema, ou seja, muitas compras falsas eram feitas diariamente em busca de falhas.

Conforme conta a Bloomberg, se o ex engenheiro de software adicionasse um computador da Dell, por exemplo, em seu carrinho de compras, ele usaria um cartão de crédito falso cedido pela Microsoft, completaria a transação e relataria algum possível erro encontrado. O sistema saberia que seria uma simulação de compra e não entregaria o produto, pelo menos em teoria.

Depois de tanto tentar achar falhas, ele conseguiu. O golpista percebeu que quando tentava comprar cartões presentes, a loja não entregava os dígitos envolvendo números e letras, como costuma ser em uma compra normal. Ao invés disso, conseguia gerar códigos ilimitados virtualmente de graça. Essa falha foi explorada por menos de um ano.

- Continua após a publicidade -

Kvashuk começou gerando cartões presente de Xbox entre 10 a 100 dólares. Quando ele ganhou confiança, esses números foram muito além, chegando a mais de 152.000 cartões, equivalentes a US$ 10.1 milhões. Com a fortuna, o cara vivia em uma mansão de frente para um lago, que custou 1.6 milhão de dólares e um carro da Tesla de US$ 160.000, e tinha planos de comprar um chalé para temporadas de ski, iate e até um hidroavião. Isso tudo só não aconteceu, porque ele foi pego pelos agentes federais americanos antes.

O condenado pela justiça americana ainda envolveu colegas de trabalho, usando emails de teste de membros de sua equipe, que também tinham o mesmo papel que Kvashuk. A princípio ele fez tudo usando seus dados, a medida em que as coisas escalonaram para milhões de dólares, ele começou a envolver seus colegas. Para a justiça, ele disse que não tinha a intenção de criar o esquema de fraude, mas que estava trabalhando em um projeto especial que beneficiaria a empresa.

Além de 9 anos de prisão, ele foi condenado a pagar US$ 8.344,586 em restituição para a Microsoft e será deportado seguindo as sentenças da justiça americana. O caso não é novo, mas somente agora os documentos sobre o ocorrido foram liberados pela justiça americana e a Bloomberg foi atrás destas informações, além de entrevistar atuais e ex funcionários que estiveram próximo do ucraniano. Você pode conferir a reportagem na íntegra (em inglês) aqui.

- Continua após a publicidade -

Via: Bloomberg Fonte: Justiça Americana
Assuntos
Tags
  • Redator: Raphael Giannotti

    Raphael Giannotti

    Entusiasta de jRPG, viveu a era de ouro do gênero nos anos 90. Fã incondicional de Zelda e Final Fantasy, hoje garimpa as bibliotecas de PC em busca de jogos épicos como esses. Enquanto não acha, zera tudo (ou quase) o que vê pela frente. Hobby atual: jogar todos os souls-like depois de ter platinado os três Dark Souls. Jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão, gamer desde 1991.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.