Créditos: Niclas Illg/Unsplash

Mercado de computadores cresceu 19,7% no primeiro trimestre do ano

Índice reflete movimento das empresas, governo e setor educacional
Por Felipe Freitas 28/06/2021 22:21 | atualizado 29/06/2021 09:52 Comentários Reportar erro

De acordo com a International Data Corporation (IDC), a compra de computadores no primeiro trimestre deste ano cresceu 19,7% em relação ao mesmo período de 2020. Ao todo, foram 1.772.417 de computadores vendidos no Brasil. O período em 2020 já havia sido bom para o setor devido ao início da pandemia, que causou uma forte demanda para computadores em casa.

A maior alta foi no mercado corporativo, que cresceu 24,4%, com 681.390 PCs. Já o varejo adquiriu 1.090.487 máquinas, levando-o a um crescimento de 17% em 2021. Esses dados foram compilados pelo estudo IDC Brazil PCs Trackers 1Q2021, que realiza serviços de consultorias e inteligência de mercado para indústrias de tecnologia da informação e telecomunicações.

Para Reinaldo Sakis, gerente de Consumer Devices da IDC Brasil, crescimento de 24,4% do mercado corporativo vale ser destacado. "Esse número corrobora o que muitos fabricantes têm comentado sobre o comportamento de pequenas, médias e grandes empresas, que repetiram o movimento do início da pandemia, especialmente pela corrida por notebooks". Sakis adiciona também que as entregas de projetos para o governo e para a educação seguiram fortes, mesmo com a pandemia.

Ainda de acordo com estudo, apesar das aberturas e fechamentos, o varejo se manteve em alta devido a alta demanda por computadores para home offices, as aulas a distância e entretenimento, como aquele descanso merecido em um jogo, Netflix ou Prime após uma semana inteira de trabalho em casa sendo alternada com faxina e pausa para cozinhar. A preferência do brasileiro continua sendo os notebooks. Dos 1.090.487 aparelhos vendidos no 1º trimestre, 944.753 foram os laptops, contra 145.734 dos desktops.

- Continua após a publicidade -

Os preços dos produtos aumentaram 20% em janeiro deste ano. Se em 2020, no mesmo período, um desktop custava, em média, R$3.146 e um notebook R$3.692, neste ano os preços saltaram para R$3.842 e R$4.450, alta de 22,1% e 20,5%, respectivamente. De acordo com a IDC Brasil, esse aumento nas vendas e preços fez a receita do mercado subir 45,9%, batendo R$6,66 bilhões.

O estudo também fala de outro importante assunto que impacta os gamers e fabricantes: falta de componentes se manteve em 2021. A demanda pode continuar crescendo, porém, a oferta, a quantidade de produtos, continua penosa. Isso mantém os preços elevados e afasta os consumidores.

Assuntos
Tags
  • Redator: Felipe Freitas

    Felipe Freitas

    Felipe Freitas é formado em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mas, segundo quase todo mundo, tem cara de quem fez Sistemas. Começou nos jogos com o SNES do seu tio, nunca passou da parte da montanha em Legend of Legaia, adora jogos com histórias bem feitas e de esportes (já que é ruim praticando).

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.