Créditos: Microsoft

Microsoft remove o aplicativo PC Health Check temporariamente

Empresa diz estar ciente da confusão que o app gerava

Depois do anúncio do Windows 11, a Microsoft tinha disponibilizado um aplicativo para mostrar se seu computador está apto para receber o novo sistema operacional, o PC Health Check. Depois da confusão causada por esse app, principalmente por mostrar que sistemas que tinham o TPM 2.0 não poderiam receber a nova versão do Windows, a Microsoft, então, decide removê-lo temporariamente.

Em seu blog, a Microsoft diz estar ciente da confusão causada pelo PC Health Check e conta o porquê da decisão de remover o app: "Nós estamos removendo o aplicativo temporariamente para que nossas equipes possam trabalhar de acordo com o feedback. Iremos disponibilizá-lo novamente antes do lançamento (do Windows 11) nesse outono (americano)", conta a Microsoft.

Segundo a empresa, o aplicativo foi criado para "ajudar as pessoas a saberem se seus computadores com Windows 10 poderiam ser atualizados para Windows 11". "Baseado no feedback até agora, estamos ciente de que a ferramenta não estava totalmente preparada para compartilhar o nível de detalhes esperado por nós, no porquê dos computadores não terem os requisitos necessários", relata a Microsoft em seu blog.

Enquanto estamos liberando o sistema para os Insiders e parceiros OEMs, iremos fazer testes para identificar dispositivos com Intel Core sétima geração e processadores AMD Zen 1 que possam atender os requisitos mínimos

- Continua após a publicidade -

Dessa vez a criadora do Windows diz que está certa de que computadores equipados com Intel Core de oitava geração em diante, processadores AMD Zen 2 (a partir dos Ryzen 3000), e dispositivos com SoC Qualcomm 7 e 8 atendem os requisitos mínimos de segurança e confiabilidade para rodar o Windows 11. Por outro lado, CPUs Intel Core sexta geração e AMD antes dos Ryzen (FX para trás) não têm chances de receber o novo sistema operacional da Microsoft.

"Enquanto estamos liberando o sistema para os Insiders e parceiros OEMs, iremos fazer testes para identificar dispositivos com Intel Core sétima geração e processadores AMD Zen 1 (Ryzen 1000 e 2000) que possam atender os requisitos mínimos", diz a Microsoft. Ou seja, essas gerações citadas serão testadas durante este período antes do lançamento final, que pode acontecer em outubro.

Segundo o WCCFTech, a Microsoft levou alguns pontos importantes em consideração para as novas especificações mínimas como compatibilidade. As exigências técnicas são baixas: CPUs de 2 núcleos; operar no mínimo de 1GHz; 4GB de memória e 64GB de armazenamento. Se levarmos em consideração somente esses requisitos, qualquer computador básico está apto. O problema mesmo são as exigências em nível de plataformas, nos quais terão que vir equipados com TPM 2.0 para maior segurança.

- Continua após a publicidade -

Via: WCCFtech
Tags
  • Redator: Raphael Giannotti

    Raphael Giannotti

    Entusiasta de jRPG, viveu a era de ouro do gênero nos anos 90. Fã incondicional de Zelda e Final Fantasy, hoje garimpa as bibliotecas de PC em busca de jogos épicos como esses. Enquanto não acha, zera tudo (ou quase) o que vê pela frente. Hobby atual: jogar todos os souls-like depois de ter platinado os três Dark Souls. Jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão, gamer desde 1991.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.