Créditos: Michael Tsang/ Nikkei Asia

NVIDIA, AMD e Intel podem sofrer consequências de supercompensação por escassez de chips

Quando a demanda por chips for normalizada, o aumento desenfreado na produção pode acarretar em problemas para empresas
Por Luiz Schmidt 09/06/2021 14:28 | atualizado 09/06/2021 15:33 Comentários Reportar erro

A escassez de chips global já se tornou um assunto recorrente em todas as áreas do setor de tecnologia. Enquanto Lisa Su, CEO da AMD, afirma que a escassez de chips é apenas um megaciclo que a indústria dos semicondutores está passando, o CEO da Intel, Pat Gelsinger afirma que a situação só deve normalizar em 2022.

A falta de chips é uma situação real, que causa efeitos negativos como aumento de preços. Entretanto, uma pesquisa publicada pela firma Jon Peddie Research, e comentada pelo site PC Gamer, traz a tona os perigos de super compensação que empresas como NVIDIA, AMD e Intel podem enfrentar. 

Segundo a pesquisa, o risco é que fornecedores de semicondutores podem ser induzidos a acreditar que repentinamente 100 milhões de novos usuários surgiram, e que a demanda permanecerá alta por um longo período de tempo. "O risco é que as fabricantes exagerem e acreditem que 100 milhões de novos usuários apareceram e que a demanda permanecerá alta. Isso não é realístico, de onde esses usuários estariam vindo?" afirma a pesquisa da Jon Peddie Research.

Se investimentos desenfreados na produção de chips continuarem, existe o risco de quando a escassez de chips for resolvida, a produção se tornar muito superior a demanda. Dessa forma, a indústria enfrentaria um novo problema: o que fazer com o excesso de produção das novas fábricas?

Lisa Su, CEO da AMD, compartilhou o seu ponto de vista sobre a escassez de chips

Lisa Su, CEO da AMD, compartilhou o seu ponto de vista sobre a escassez de chips
A executiva não aparenta estar muito preocupada com a situação

- Continua após a publicidade -

Suprir a demanda de chips pode acabar se tornando uma armadilha

A firma Jon Peddie Research afirma que ceder à pressão exagerada para suprir a demanda de chips pode acabar se tornando uma armadilha. Katie Wickens, do site PC Gamer, comenta que o resultado para empresas como AMD, Intel e NVIDIA, pode ser similar ao que a NVIDIA enfrentou em 2018 quando as baixas vendas de GPU não corresponderam com a alta produção. Por enquanto, o problema da escassez de chips ainda irá demorar para ser resolvido, mas é importante que empresas como AMD, NVIDIA e Intel planejem suas estratégias com cuidado, projetando como estará funcionando o mercado quando a situação normalizar.

Fonte: PC Gamer
Assuntos
  • Redator: Luiz Schmidt

    Luiz Schmidt

    Estudante de jornalismo na UFSC. Amante de games, anime, manga e cultura japonesa. Gosta de escrever histórias de horror nas horas livres e sonha em publicar um livro.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.