Créditos: Fensterblick. - Wikimedia Commons/Reprodução

GlobalFoundries busca IPO com investimentos na casa dos US$ 30 bilhões

Companhia está trabalhando em conjunto com a Morgan Stanley para atrair investidores
Por Carlos Felipe Estrella 30/05/2021 14:15 | atualizado 30/05/2021 14:15 Comentários Reportar erro

A fábrica de semicondutores GlobalFoundries está em busca de uma oferta pública inicial (IPO) que pode chegar na casa dos US$ 30 bilhões (R$ 156 bilhões). A companhia está trabalhando em conjunto com a firma de serviços financeiros Morgan Stanley para atrair investidores.

Quem revelou isso foi uma reportagem da Bloomberg, que entrevistou fontes não identificadas de dentro da própria GlobalFoundries. A mesma pessoa disse que ainda não foi tomada uma decisão final, e que os planos da fábrica ainda podem mudar. A pessoa pediu para permanecer anônima porque ainda se trata de um assunto interno da companhia.

A fábrica já é financiada pelo fundo de investimentos Mubadala Investment Co., de Abu Dhabi. Junto deles, a GlobalFoundries já teria feito as preparações para uma IPO nos Estados Unidos em abril, e eles estariam em conversas com potenciais consultorias para a negociação.

A fabricante de chips está indo ao mercado através de investimento num momento onde empresas de diferentes indústrias estão reclamando da baixa disponibilidade de semicondutores. Ao mesmo tempo, os governos de diversos países estão se preparando para oferecer suporte financeiro para expansões na produção desse tipo de produto.


Fonte: GlobalFoundries/Reprodução

- Continua após a publicidade -

Os principais rivais da GlobalFoundries, Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC) e Samsung Electronics, estão com dificuldades para atender às demandas dos seus clientes. A maior parte da demanda para eletrônicos para consumidores domésticos se centra em litografias de 14 nm ou menores, mas a TSMC também está enfrentando dificuldades nas produções até mesmo de processos maduros como os de 28 nm.

No momento, a GlobalFoundries trabalha com processos de produção de 12 nm ou maiores. Isso significa que ela ainda está atrás de rivais que trabalham com litografias de 5 nm, 7 nm ou 10 nm. Com a rodada de investimentos, a expectativa é de que a fábrica vai conseguir incorporar máquinas mais avançadas para avançar seus processos.

Os representantes da GlobalFoundries se recusaram a falar publicamente sobre o assunto. Os porta-vozes da Mubadala também não estavam disponíveis para falar sobre essa questão e o pessoal da Morgan Stanley disse não ter um comentário imediato para oferecer.

Via: Bloomberg, WCCF Tech
Assuntos
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.