Créditos: Intel

Meteor Lake, primeira CPU de 7nm da Intel, está quase pronta para chegar em 2023

"Pacote" do chiplet está completo, e agora é só enviar para a fabricação

A Intel terminou o processo de "planejamento" da arquitetura Metor Lake, que vai marcar a entrada da empresa na litografia de 7nm em 2023. A empresa comemorou no Twitter o "tape in" da Meteor Lake, que é a penúltima etapa antes dos chips efetivamente serem enviados para manufatura em larga escala ("tape out").

Componentes Meteor Lake não são como núcleos tradicionais e são chamados de "compute tile", incorporando um design não monolítico através da tecnologia Foveros da Intel. O tape in para os Meteor Lake já estava previsto para o segundo trimestre de 2021, então a empresa está dentro do cronograma. 

A novidade foi anunciada por Gregory Bryant, vice-presidente executivo da Intel Client Computing, no Twitter, e retwittado pelo próprio CEO da empresa, Pat Gelsinger, que chamou a conquista de "bom progresso":

A geração de processadores de 14ª geração Meteor Lake é esperada para depois da Raptor Lake, que por sua vez deve ser a sucessora dos Alder Lake, os componentes de 12ª geração que chegam no final deste ano com suporte a novas tecnologias, como as memórias DDR5.

Os núcleos Meteor Lake serão fabricados em 7nm, ainda no processo Enhanced SuperFin. Segundo o VideoCardz, esses componentes devem ser os últimos no soquete LGA1700, que faz sua estreia neste ano para os componentes Alder Lake.

- Continua após a publicidade -

E agora que a Intel anunciou o tape in, as atenções se voltam ao tape out, porque pode envolver uma parceria com terceiros. A empresa, que sempre buscou fabricar os próprios processadores, já anunciou anteriormente que pretende continuar a manufatura da "maioria de seus produtos internamente", o que indica que não serão todos.

O trecho acima veio de uma publicação da própria empresa em março deste ano, em sua página para a imprensa. Não dá pra saber qual vai ser a estratégia da companhia com parcerias, mas as apostas é que o mais provável é que a Intel vai querer manter as coisas "em casa" para seus primeiros processadores de 7nm.

Fonte: PC Gamer, VideoCardz
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.