Créditos: IBM

Presidente da IBM concorda com CEO da Intel e afirma que falta de chips pode durar anos

A demanda por chips cresce, mas a indústria não consegue acompanhar
Por Luiz Schmidt 17/05/2021 15:02 | atualizado 17/05/2021 15:04 Comentários Reportar erro

A demanda por chips está em alta, porém a indústria está com dificuldades para acompanhar a demanda. Mesmo recentes investimentos no aumento de produção, como é o caso da Intel que irá investir US$ 20 bilhões, em duas novas instalações nos Estados Unidos, não é o suficiente para suprir as necessidades do mercado.

O presidente da IBM Jim Whitehurst, afirma que a ausência de chips pode durar anos até ser resolvido. "Francamente, demorará alguns anos até conseguirmos incrementar a capacidade online para mitigar os problemas da ausência de chips. Teremos que reutilizar, aumentar a vida útil de alguns tipos de tecnologias computacionais, assim como aumentar o investimento em fábricas", comentou Whitehurst.

Intel busca aumentar suporte a conector ATX de 10 pinos com CPUs Alder Lake

Intel busca aumentar suporte a conector ATX de 10 pinos com CPUs Alder Lake
Empresa estaria fazendo lobby por adoção do padrão, mas enfrenta dificuldades para obter apoio

Os comentários do presidente da IBM, se somam aos comentários de Pat Gelsinger, CEO da Intel. "Nós temos o necessário para ajudar. Penso que ainda vai demorar uns dois anos até que a gente tenha a habilidade de lidar totalmente com isso. Precisamos de alguns anos para aumentar nossa capacidade". 

O recente investimento da Intel teve incentivo de políticos do Novo México.  A empresa procura modernizar as suas instalações e, no futuro, aumentar a sua produção para torná-la mais eficiente. Gelsinger afirmou que: "Não estaremos nem perto de tão focados em recompras daqui para frente como fizemos no passado." Ele ainda acrescenta "foi revisado como parte de minha entrada na empresa, acordado com o conselho de administração". 

- Continua após a publicidade -

A Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), é a maior empresa de semicondutores do mundo, e também acredita que a falta de chips só deve encerrar em 2022. "Nós não podemos eliminar a possibilidade de uma correção de inventário, de um overbooking ou de algo assim. Na verdade, nós esperamos que a demanda estrutura continue e vamos trabalhar de maneira próxima com nossos clientes para desenvolver alguma solução tecnológica para atingir as demandas dos nossos clientes e criar diferenciação e um valor duradouro para nossos clientes", comentou C.C Wei, CEO da TSMC.

Fonte: Hothardware
Tags
  • Redator: Luiz Schmidt

    Luiz Schmidt

    Estudante de jornalismo na UFSC. Amante de games, anime, manga e cultura japonesa. Gosta de escrever histórias de horror nas horas livres e sonha em publicar um livro.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.