Créditos: wccftech.com

Centro de Supercomputação de Leibniz contará com processadores gráficos Intel Ponte Vecchio

Raja Koduri confirmou a novidade por meio do seu perfil no Twitter
Por Guilherme Pinheiro 10/05/2021 21:19 | atualizado 10/05/2021 22:49 Comentários Reportar erro

Foi confirmado por meio do perfil do Twitter de Raja Koduri, arquiteto-chefe e vice-presidente sênior da divisão de arquitetura, gráficos e software da Intel, que o Centro de Supercomputação de Leibniz está pronto para receber as CPUs Sapphire Rapids, assim como as GPUs Ponte Vecchio, baseada na arquitetura Xe-HPC.

O chip do Intel Ponte Vecchio vai ser um dos mais complexos produzidor até hoje. É esperado que ele comece a ser disponibilizado a partir de 2022. Essa unidade de processamento gráfico irá conter mais de 100 bilhões de transistores. Foi reportado por meio da imprensa internacional que o Centro de Supercomputação irá adotar a quarta geração de CPUs Sappire Rapids, assim como o chip gráfico já mencionado para a segunda fase do supercomputador SuperMUC-NG.

É esperado que o sistema utilize por volta de 1 Petabyte de armazenamento assíncrono de objetos distribuídos (DAOS), combinado com a memória persistente Intel Optane.

Ainda não foram veiculadas informações concretas sobre o desempenho de todo esse maquinário de altíssima tecnologia. De toda forma, equipamentos deste nível são utilizados para resolver os problemas mais complexos que podem ser imaginados. Cálculos com complexidade astronômica, com os problemas mais diversificados, como modelagem molecular, pesquisas militares, médicas e até mesmo física quântica.

- Continua após a publicidade -

A primeira fase do SuperMUC-NG, que será substituída pela segunda etapa descrita acima, porém, já apresenta uma performance de 19,476.6 TFLOPS no aplicativo Linpack (Rmax). Já no Linpack Theoretical Peak (Rpeak), alcança o resultado de 26,873.8 TFLOPS.

Com números tão fora da realidade de computadores caseiros, quase cruzando o limiar da ficção científica, é impressionante imaginar que todo esse poder de processamento será amplamente superado a partir do ano que vem.

A construção de equipamentos com o melhor que a nossa tecnologia atual pode nos oferecer é algo que todos engenheiros envolvidos estão extremamente orgulhosos.

Fonte: tomshardware.com
Assuntos
  • Redator: Guilherme Pinheiro

    Guilherme Pinheiro

    Formado em jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Fã de videogames desde os 6 anos de idade, sendo o seu hobby preferido desde então. Passou por diversas gerações de consoles, do NES até o PlayStation 5.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.