Créditos: acronis.com

Intel e Microsoft firmam parceria para combater "Cryptojacking", a mineração escondida

Prática criminosa consiste em utilizar computadores de outras pessoas para minerar criptomoedas
Por Guilherme Pinheiro 05/05/2021 09:53 | atualizado 05/05/2021 09:54 Comentários Reportar erro

Por meio de uma parceria, a Intel e a Microsoft estão buscando combater, utilizando o Microsoft Defender, uma prática ilegal conhecida internacionalmente como "Cryptojacking". Com a rápida popularização das criptomoedas, não é de se estranhar que criminosos também estejam querendo se beneficiar desse mercado em ampla expansão.

Para simplificar a explicação, o Cryptojacking é um método utilizado por hackers no mundo inteiro, que, através de aplicativos criados para esse propósito, se apoderam dos computadores de outras pessoas, pela internet, com o intuito de obter lucros com a mineração.

Cryptojacking faz computador minerar criptomoedas sem o usuário saber

Ou seja, além de se aproveitar de máquinas sem a prévia autorização dos seus donos, ainda compromete o desempenho de quem for afetado - pois o equipamento utilizado para mineração, além de tudo, durante a execução dessa tarefa, fica mais lento e gera mais calor, devido ao uso constante das peças afetadas.

A partir de processadores Intel Core de 6ª geração, esse novo mecanismo de defesa irá aproveitar a "Threat Detection Technology" (TDT), sendo, em tradução livre, algo como "Tecnologia de Detecção de Ameaças.

- Continua após a publicidade -

Se beneficiando das vantagens oferecidas pelo machine learning (aprendizado de máquinas) e outras instruções de inteligência artificial, o objetivo é detectar a prática de mineração em um equipamento, para assim barrar quaisquer ações que tenham o intuito de tirar proveito de equipamentos de terceiros sem a devida autorização de todos os envolvidos.

O Microsoft Endpoint Manager é utilizado por corporações que possuem diversas máquinas interligadas em suas redes locais e remotas - como gestão de dispositivos. Apesar da tecnologia de proteção mencionada, em um primeiro momento, seja apenas para o uso empresarial, ainda não temos mais informações referentes ao uso dessa defesa adicional para o usuário doméstico.

Além de processadores Intel Core de 6ª geração, conforme já mencionado, os usuários da Intel vPro® também poderão usufruir da nova ferramenta.



Essa tecnologia desenvolvida para garantir a segurança das redes empresariais também pode ser utilizada para aprimorar a detecção de ameaças digitais ainda mais perigosas, como controlar a propagação de ransomwares - softwares maliciosos com o intuito de tomar posse, remotamente, de computadores vulneráveis, muitas vezes chegando ao ponto de exigir dinheiro para que a vítima tenha o seu dispositivo eletrônico liberado.

Fonte: tomshardware.com
  • Redator: Guilherme Pinheiro

    Guilherme Pinheiro

    Formado em jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Fã de videogames desde os 6 anos de idade, sendo o seu hobby preferido desde então. Passou por diversas gerações de consoles, do NES até o PlayStation 5.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.