Créditos: NVIDIA/ARM

Governo Britânico tenta impedir a NVIDIA de comprar a ARM

Enquanto CEO da NVIDIA acredita que aquisição será concluída em 2022, governo Britânico questiona a compra por razões de segurança nacional
Por Luiz Schmidt 20/04/2021 15:53 | atualizado 21/04/2021 18:29 Comentários Reportar erro

O presidente e CEO da NVIDIA, Jensen Huang, está confiante que a aquisição da ARM será concluída em 2022. Porém, movimentações recentes do governo britânico podem prejudicar o acordo de US$ 40 bilhões. Alegando motivos de segurança nacional, o Reino Unido entrou com uma ação judicial para intervir na aquisição da NVIDIA.

A ação de intervenção de interesse público (Public Interest Intervention no original em inglês), foi postada por Oliver Dowden, Secretario de Estado do Digital, Cultura, Mídia e Esporte no Reino Unido. Até o dia 30 de julho de 2021, a CMA (Competition and Markets Authority), órgão ministerial independente que regula a competição entre empresas para, deve anunciar o resultado da ação proposta por Dowden, definindo os rumos da aquisição da ARM. 

O grande questionamento é que caso o acordo seja finalizado, companhias como Microsoft, Google e Qualcomm, que utilizam as soluções da empresa em seus produtos, sofrerão prejuízo. Por outro lado, a NVIDIA garante que irá manter o modelo de licenciamento aberto da empresa, sem impedir que companhias como Microsoft tenham acesso aos chips da ARM, além de manter a sede da empresa em Cambridge, no Reino Unido. 

A ARM oferece um ecossistema de arquiteturas e processadores compatíveis que podem ser licenciados por outras empresas. As soluções se tornaram tão populares e competitivas hoje em dia, que a grande maioria das companhias de tecnologia tem utilizado algum dos chips da empresa, como é o caso do chip M1 da Apple.

CEO da Intel reage ao CPU Grace da NVIDIA

CEO da Intel reage ao CPU Grace da NVIDIA
Processador deve competir com Intel, mas Pat Gelsinger não parece preocupado

- Continua após a publicidade -

Recentemente a NVIDIA mostrou sua primeira CPU com arquitetura ARM para soluções em IA em Data Centers. O projeto não marca somente a entrada da NVIDIA no mercado de processadores, mas também as intenções da empresa ao expandir seu ecossistema. Jensen Huang acredita que a aquisição é uma oportunidade de crescimento. "Estou confiante que os reguladores irão perceber a inteligência desta transação. Ela irá prover um aumento na inovação, vai permitir a ARM expandir para mercados difíceis para entrarem sozinhos. Nossas conversas com os órgãos reguladores são construtivas. Estou confiante que até 2022 a aquisição será concluída", comentou Huang.

Se a aquisição será concluída ou não, depende dos resultados da ação promovida pelo governo britânico. A união gera um desconforto esperado por parte de grandes empresas que podem perder competitividade caso o acordo seja concluído. O consumidor no entanto, só pode esperar que a decisão final realmente reflita o que é melhor para o mercado.

Temos um vídeo falando sobre a mudança no panorama da tecnologia, caso a aquisição seja concluída. Para entender um pouco mais sobre o assunto, assista ao vídeo abaixo.

Via: Mundo Conectado Fonte: PC Gamer, Videocardz
  • Redator: Luiz Schmidt

    Luiz Schmidt

    Estudante de jornalismo na UFSC. Amante de games, anime, manga e cultura japonesa. Gosta de escrever histórias de horror nas horas livres e sonha em publicar um livro.

Em jogos single-player como Resident Evil Village, você prefere:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.