Créditos: NVIDIA

NVIDIA anuncia DGX Station 320G com 4 GPUs Ampere A100, 320GB de memória e 2.5 PetaFlops

Empresa também anunciou o novo DGX SuperPOD, o primeiro supercomputador multilocatário nativo de Cloud para soluções em IA

A NVIDIA anunciou nessa semana durante a GTC o novo servidor DGX Station 320G, baseado no processador Ampere A100 Tensor Core voltado ao mercado de IA, triplicando a performance de cargas de trabalho de IA complexas, com intuito de aprimorar a performance da ciência de dados para empresas e laboratórios de pesquisa. 

O NVIDIA DGX Station 320G é alimentado por quatro GPUs A100 Tensor Core. Entretanto, a NVIDIA atualizou as especificações e através de quatro placas A100 de 80GB de memória HBM2e, totaliza 320GB com suporte a MIG (GPU Multi-Instância). A função particiona em instâncias o uso do GPU e permite a realização de múltiplas tarefas simultaneamente, sem perder eficiência ou aumentar latência. Além disso, o servidor possui suporte NVlink de 3ª geração, com 200GB/s de largura de banda bidirecional entre qualquer conexão de GPU.

O sistema utiliza CPU AMD EPYC Rome 7742 com 64 núcleos e suporte PCIe Gen 4, até 512 GB de memória dedicada ao sistema, armazenamento SSD NVME M.2 de 1,92TB para SO (Sistema Operacional) e armazenamento SSD NVME U.2 de até 7,68TB para dados. Na conectividade o sistema possui 2 LAN de 10GbE e uma porta LAN de 1GbE para gerenciamento remoto. A saída de vídeo oferece 4 conexões DisplayPort com suporte para resolução de até 4K.


(Créditos: NVIDIA)

O DGX Station 320G abriga as quatro GPUs Ampere A100 na traseira do chassi. O sistema de cooling é silencioso e livre de manutenção, ele opera em 37db. Todo o sistema é alimentado por uma fonte de energia de 1500W.

- Continua após a publicidade -

O desempenho do NVIDIA DGX 320G
O novo DGX Station entrega 2,5 Petaflops em treinamento de IA. Além de 5 PetaOPS de INT8, que reduz significativamente o tempo de comunicação com a nuvem, em relação a largura de banda, latência e energia. Ele também oferece aumento de 3 vezes para cargas de trabalho de IA complexas, como as de processamento de linguagem, aumento de 4 vezes no desempenho de inferência e acréscimo de 1,85 vezes nas cargas de trabalho HPC (High Performance Computing). Além do dobro em performance na análise de dados.

DGX SuperPOD
O DGX SuperPOD é um supercomputador para soluções em IA, com DPU (Unidade de Processamento de Dados)  NVIDIA BlueField-2 que permite a organizações fornecerem acesso privado à infraestrutura DGX, protegendo os dados dos usuários.

Marcio Aguiar, diretor de vendas da NVIDIA Enterprise para América Latina, afirma que o SuperPOD é um supercomputador sem precedentes. "Empresas que utilizarem o equipamento, seja em nuvem ou não, se surpreenderão com os resultados", afirmou Aguiar.

- Continua após a publicidade -

O sistema DGX 320G estará disponível ainda este ano pelo preço de US$ 149.000 (R$ 836.962 em conversão direta), ou uma inscrição mensal no valor de US$ 9.000 (R$ 50,554 em conversão direta). O super computador NVIDIA DGX SuperPODs estará disponível até o final do segundo trimestre, deste ano. 

*texto elaborado com base em informações divulgadas pela NIVIDIA em release de imprensa.

Via: Wccftech
  • Redator: Luiz Schmidt

    Luiz Schmidt

    Estudante de jornalismo na UFSC. Amante de games, anime, manga e cultura japonesa. Gosta de escrever histórias de horror nas horas livres e sonha em publicar um livro.

O que você pesa mais quando escolhe sua plataforma para jogos?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.