Créditos: Remedy

"Fazer jogos para duas gerações é um saco", segundo um dos devs de Control

Remedy fala das dificuldades enfrentadas para entrega Control: Ultimate Edition

Control: Ultimate Edition chegou recentemente aos consoles da nova geração, o PS5 e os Xbox Series S e X, mas não sem uma dose de problemas iniciais no lançamento. Conversando com o IGN, Thomas Puha, diretor de comunicações da desenvolvedora do game, a Remedy, finalmente falou sobre o processo de fazer esse tipo de port e otimização em jogos já lançados para uma nova geração: "é um saco".

"Sempre que você está num ponto de transição de gerações, para ser sincero, é um saco. Você precisa suportar a geração passada, ter certeza que roda bem, e depois qualquer coisa que você levar pra nova geração ainda é limitado pelas escolhas que você fez anos atrás para a geração anterior. Não é uma coisa muito realista, que esse jogo antigo, nós vamos apenas refazer tudo e depois levar pra nova geração. Simplesmente não é assim que funciona. Não é uma realidade para nós, porque você está literalmente tirando recursos que estariam fazendo jogos futuros e melhorando a engine para o futuro."

"Sempre que você está num ponto de transição de gerações, para ser sincero, é um saco. Você precisa suportar a geração passada, ter certeza que roda bem, e depois qualquer coisa que você levar pra nova geração ainda é limitado pelas escolhas que você fez anos atrás para a geração anterior. Não é uma coisa muito realista, que esse jogo antigo, nós vamos apenas refazer tudo e depois levar pra nova geração. Simplesmente não é assim que funciona. Não é uma realidade para nós, porque você está literalmente tirando recursos que estariam fazendo jogos futuros e melhorando a engine para o futuro."

O desabafo de Puha não foi apenas no sentido de reclamar, mas também para destacar algo que a maioria dos jogadores que acompanhou transições de gerações no passado já sabe: os jogos da nova geração ainda vão melhorar muito. O executivo da Remedy diz que desenvolver pra nova geração é um processo de aprendizado e adaptação, a novos recursos e ferramentas, e que mais tarde devemos ver os jogos que vão mostrar uma diferença gritante pra geração passada.

Essa mudança, aliás, foi um dos impactos que mais atrapalhou no port de Control para o PS5 e os Xbox Series. Segundo o dev, Control terminou de ser desenvolvido numa versão de agosto de 2019 de sua engine. O motor gráfico foi então atualizado para incorporar o suporte da nova geração, estragando tudo que tinha sido alterado com precisão para o jogo nos consoles passados.

"Nada funciona no começo. O conteúdo tem a aparência errada, as texturas ficam erradas, as luzes estragadas, porque nós fizemos todas essas melhorias, mas aí elas ficam incompatíveis com o que tínhamos em 2019."

"Nada funciona no começo. O conteúdo tem a aparência errada, as texturas ficam erradas, as luzes estragadas, porque nós fizemos todas essas melhorias, mas aí elas ficam incompatíveis com o que tínhamos em 2019."

- Continua após a publicidade -

Apesar das dificuldades, Control: Ultimate Edition foi finalizado e já está disponível no PS5 e Xbox Series S e X.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Fonte: IGN
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.