Créditos: Divulgação / Intel

Placas Intel DG2 poderiam competir diretamente com placas Big Navi e Ampere

Raja Koduri afirma que evolução entre projetos de 2012 para 2021 é 20 vezes mais rápido

Segundo Raja Koduri, arquiteto chefe de GPUs da Intel, Placas gráficas Intel DG2 Xe HPG poderiam competir diretamente com placas Big Navi e Ampere.

No começo de 2021 a Intel lançou os primeiros modelos das Intel DG1 Iris Xe, modelo bem modesto que visa justamente o mercado de placas de entrada dos gráficos dedicados tanto para laptops quanto para desktops, sendo uma alternativa interessante aos gráficos integrados.

Entretanto, a Intel continua o desenvolvimento intenso das suas placas gráficas de alto desempenho, as DG2, que, segundo a própria empresa durante o evento “Intel’s Architetcture Day 2020”, virá equipada com memórias GDDR6 e terá suporte a ray tracing.

Sobre esse desenvolvimento, Raja Koduri, ex AMD e hoje chefe de arquitetura de GPU da Intel, postou em suas redes sociais uma foto de 2012 com parte da equipe de desenvolvimento da Iris Pro 5200 iGPU que fazia parte do projeto Crystal Well que integrava processadores Haswell, e afirmou que 9 anos depois estaria brincando com uma GPU 20 vezes mais rápida.

- Continua após a publicidade -

Apesar de não terem sido divulgados quaisquer dados oficiais de benchmark do atual projeto das Intel Xe DG2 Iris, os benchmarks do então projeto Iris Pro 5200 era capaz de entregar pontuações entre 1350 e 1450 nos testes do 3DMark Fire Strike.

As GPUs Ampere RTX 3070 e 3080 da Nvidia, apesar de serem quase impossíveis de se encontrar para compra, apresentam resultados entre 25000 e 30000 em testes sintéticos de benchmark, enquanto, apenas para fins comparativos, as atuais GPUs de entrada da Intel Iris Xe Max, com apenas 96 unidades de execução, 4 GB de memória LPDDR4X e largura de banda de modestos 68 GB/s, apresenta pontuação de 5800 nos mesmos benchmarks.

Conceito Renderizado Intel Xe Iris Max

Ainda que sejam projetos gráficos que competem em mercados completamente diferentes, a comparação faz sentido por correspondência quando compararmos os projetos da Iris Xe Max com das DG2 Iris. A arquitetura Xe HP é projetada para escalonar de acordo com as unidades de execução, e levando em conta que cada bloco HPG comportaria até 512 unidades de execução, o equivalente a 4096 núcleos shader das placas Nvidia e AMD

DG2 provavelmente eliminariam de seu projeto funções necessárias para gráficos integrados, mas irrelevantes para solução de gráficos dedicados, permitindo mais unidades de execução e frequências de operação mais altas, dessa forma, a conta sugerida por Koduri das novas GPUs entregarem 20 vezes mais desempenho do que os modelos de iGPUs de 2012 é bem plausível, sendo entre 27000 e 29000 pontos nos benchmarks sintéticos teoricamente.

- Continua após a publicidade -

Enquanto não forem liberados resultados concretos de testes de desempenho, tudo isso fica no campo da teoria, mas já é o suficiente para dar esperança sobre as placas de alto desempenho da Intel já entrarem no mercado competindo no mesmo patamar, ou ao menos bem próximo, das placas topo de linha tanto da Intel quanto da AMD, e mais concorrência é sempre melhor.

Fonte: TechPowerUp, TechSpot
  • Redator: Daniel Trefilio Carvalho

    Daniel Trefilio Carvalho

    Formado em Letras pela Universidade Estadual de Campinas, professor, tradutor e revisor. Nas horas vagas, instalando impressora e formatando PCs desde os tempos que Alone In The Dark era um jogo bom e ocupava 4 disketes.

Com o GeForce Now e o xCloud surgindo como opções, qual seu plano a médio prazo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.