Créditos: Apple

Até o chip Apple M1 pode ser utilizado para minerar Ethereum

Ninguém está salvo das criptomoedas

Ninguém está salvo da onda de mineração. Com tantas placas de vídeo sumindo do mercado devido ao retorno das criptomoedas, até o M1, chip ARM de computadores da Apple, foi colocado à prova na busca por Ethereum.

Um engenheiro de software conhecido como Yifan Gu resolveu testar as capacidades do processador da Apple em mineração e descobriu que o componente pode ser utilizado como uma picareta digital. O responsável pelo projeto colocou o M1 para trabalhar após fazer o programa Etherminer funcionar em um dispositivo com macOS equipado com o chip ARM.


Dispositivo com M1 sendo utilizado para mineração. (Imagem: Yifan Gu/Reprodução)

A prova de conceito publicada no blog de Yifan Gu mostra que, de fato, você pode utilizar um computador com Apple M1 para mineração de Ethereum, mas talvez isso não seja uma boa ideia. O experimentou aponta que a GPU integrada do chip conta com um poder de mineração de apenas 2 MH/s, um nível bastante baixo em comparação às GPUs mais populares para esse fim.

Com isso, apesar de ser possível, usar um M1 para minerar não é uma ideia. Como os computadores da Apple costumam ter um valor elevado, o custo-benefício de utilizar um MacBook Pro de pelo menos R$ 17.299 para mineração não parece atraente.

A mineração voltou à moda após um crescimento no valor do Bitcoin, que elevou a popularidade das criptomoedas. A prática contribuiu para a elevação nos preços das placas de vídeo e a escassez de produtos no mercado. 

- Continua após a publicidade -

O Apple M1 é o primeiro chip da Apple desenvolvido para computadores. O componente é baseado na arquitetura ARM e traz um sistema unificado em apenas um componente, em uma construção similar ao que temos nos smartphones.

Segundo rumores, a empresa já está preparando novos chips que chegarão ao mercado ainda em 2021, incluindo uma solução mais potente com 12 núcleos e o dobro de desempenho de GPU.

Via: Tech Power Up, Yifan Gu's Blog
Assuntos
Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Com o GeForce Now e o xCloud surgindo como opções, qual seu plano a médio prazo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.