Créditos: Divulgação / Samsung

Por falta de energia no Texas plantas de chips da Samsung interromperam produção

A ordem para desativar o setor industrial e de semicondutores foi devido a sobrecarga no sistema de abastecimento dado o inverno rigoroso

A Austin Energy, empresa responsável pelo abastecimento de energia da maioria das indústrias de sua região, convocou todas as fabricantes de semicondutores e outras indústrias de Austin a desativar ou paralisar suas plantas devido à falta de energia por conta do intenso inverno atingindo temperaturas que o Texas não via desde 1989. Dentre as plantas afetadas estão a Samsung, NXP Semiconductors e Infineon Semiconductors, e todas acataram à solicitação e paralisaram completamente suas linhas de produção.

Paralisações como essa, não planejadas, geralmente têm impactos a longo prazo na produção, uma vez que são necessários vários dias para que a linha de produção retorne 100% a atividade, além do prejuízo causado devido a provável perda de boa parte da produção que estavam em andamento quando foi ordenado o desligamento total da planta. Um exemplo disso foi o apagão de trinta minutos que afetou uma planta da Samsung em 2018 destruindo 3% do abastecimento global de chips NAND.

Segundo matéria do jornal Austin American-Statesman, o interrompimento emergencial das atividades pode ter causado a perda total de itens em algumas etapas da linha de produção, custando às empresas afetadas prejuízos na faixa dos milhões de dólares, pois alguns tipos de chips levam meses para avançar de uma etapa para outra de fabricação, e desabastecimentos energéticos não agendados podem levar ao descarte completo de algumas dessas linhas de produção.
Não se sabe se as empresas que foram ordenadas a desativarem suas plantas, a Samsung entre elas, receberam a notificação em tempo hábil para mitigar as possíveis perdas, otimizar o desligamento e possivelmente agilizar o retorno às atividades quando isso for possível, mas ainda não há previsão para este retorno.

 

A Austin Energy explicou que o desabastecimento forçado das indústrias da região foi por conta da alta demanda de gás natural, com a necessidade de abastecer os sistemas de calefação das residências, e essa elevada e súbita demanda pode despressurizar as tubulações das termoelétricas, causando apagões massivos. O sistema de abastecimento energético do Texas é planejado para alimentar os picos de energia durante o verão intenso, e a atual crise não foi, ainda segundo a Austin Energy, consequência de falta de planejamento ou infraestrutura, mas uma situação extremamente incomum, e prevenir isso necessitaria de meses ou até anos de reformulação da rede.

- Continua após a publicidade -

Essa questão toda afetará diretamente, não apenas os dados fiscais da Samsung, mas principalmente o abastecimento de chips advindos de duas das principais plantas da Samsung em Austin. Mesmo problemas em plantas pequenas são capazes de afetar diretamente os preços e disponibilidade de produtos que dependem de microchips, e com certeza a paralização agravará ainda mais a crise de silício que já afeta inclusive a indústria automotiva.

A Samsung, que estava em negociando um contrato de US$ 17 bilhões com Texas, Arizona e Nova Iorque para a instalação de uma nova planta, muito possivelmente levará em conta a atual situação para definir qual estado teria a infraestrutura publica mais adequada, uma vez que serviços de eletricidade e água são essenciais para o funcionamento dessas fabricas. 
 

Fonte: Statesman, Tom's HARDWARE
Tags
  • Redator: Daniel Trefilio Carvalho

    Daniel Trefilio Carvalho

    Formado em Letras pela Universidade Estadual de Campinas, professor, tradutor e revisor. Nas horas vagas, instalando impressora e formatando PCs desde os tempos que Alone In The Dark era um jogo bom e ocupava 4 disketes.

Com o GeForce Now e o xCloud surgindo como opções, qual seu plano a médio prazo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.