Créditos: Reprodução // Geizhals.at

Placa-mãe Gigabyte Z590 Aorus Tachyon tem layout diferente do tradicional

Dissipador de calor maior e menor distância entre socket e memórias possibilita overclocks mais eficientes

A Gigabyte Z590 Aorus Tachyon traz layout diferente, com socket posicionado mais abaixo que formato padrão, menor distância entre o mesmo e os slots de memória e dissipador de calor bem maior que o normalmente encontrado em placas que miram no mesmo nicho de usuários.

A nova placa topo de linha da Aorus chipset Z590 ainda não chegou oficialmente ao mercado estadunidense, mas já pode ser encontrada em alguns varejistas na Europa, então é possível observar alguns detalhes bem curiosos sobre a nova placa, especialmente em seu design. O perfil @momomo_us no Twitter postou link para a Z590 Tachyon em varejista da Austria com preço sugerido de € 509,00, o equivalente a US$ 612,59 (R$ 3289,67 na cotação do dia dessa publicação). 

Apesar de já ter anunciado em seu blog oficial no dia 12 de fevereiro, a Gigabyte ainda não disponibilizou a página da placa a sua listagem de produtos no site principal, mas já é possível ter um apanhando de várias características importantes sobre o modelo voltado para overclock.

- Continua após a publicidade -

A primeira característica que chama a atenção é o dissipador de calor bem maior, com design novo que dispõe de diversas fissuras e superfície sulcada garantindo uma superfície de dissipação duas vezes maior, o que, segundo a própria Gigabyte em seu anúncio para a imprensa, “melhora drasticamente o processo de convenção e condução de calor, por garantir um maior fluxo de ar através do dissipador de calor”.

Outra característica que se destaca e que provavelmente foi uma escolha de projeto intencional, que por consequência permitiu o dissipador maior, é a posição do socket da CPU. Deslocado um pouco abaixo do padrão, se comparado a outros modelos de placas-mãe, o socket é também mais próximo dos dois slots de memória DDR4-5000, e o encurtamento dessa distância física posicionando a CPU o mais próximo possível das memórias permite minimizar as interferência e ruídos de sinal sem a necessidade de sistemas de encapsulamento, blindagem ou isolamento complexos, como é comumente encontrado em placas de som de alta qualidade embarcadas. Essa mudança física de layout, por si só, pode permitir que overclockers consigam atingir frequência de memória mais elevadas.

A combinação do regulador de tensão Vishay Sic840 aos dois conectores de oito pinos é capaz de permitir tensões de overclock até aos sistemas mais exigentes nesse quesito como o Rocket Lake-S, inclusive ao topo de linha  Core i9-11900K.

- Continua após a publicidade -

Além desse design inovador, a Z590 Aorus Tachyon vem equipada com seis portas SATA III e três portas M.2, sendo o slot primário PCIe 4.0. São oito conectores para ventoinhas e sensores de temperatura e até quatro conectores RGB, sendo dois deles digitais espalhados por áreas diferentes da placa, facilitando sistemas de arrefecimento robustos e bom controle de temperaturas internas.

A placa apresenta quatro slots de expansão PCIe x16, contudo apenas um deles é PCIe 4.0 operando em x16. Os outros slots são limitados eletricamente, sendo um deles PCIe 4.0 operando em 8x e os outros dois, PCIe 3.0 operando respectivamente em x4 e x1. Mesmo com apenas um slot PCIe 4.0 16x a Aorus Tachyon oferece suporte tanto a configurações dom SLI quanto CrossFire.

O painel traseiro tem dois botões, um para atualização de firmware da placa-mãe, como já é comum em diversos modelos, e um segundo para limpar a CMOS, facilitando a manutenção e atualização de BIOS sem que seja necessário ter um processador instalado.

Apesar disso tudo e de figurar entre as topo de linha da Aorus, a Tachyon provavelmente ainda será inferior a Aorus Xtreme, já que o preço sugerido da Tachyon, já considerando a conversão e impostos praticados, é menor que da Aorus Xtreme no mercado estadunidense.

 

Fonte: Tom's HARDWARE
  • Redator: Daniel Trefilio Carvalho

    Daniel Trefilio Carvalho

    Formado em Letras pela Universidade Estadual de Campinas, professor, tradutor e revisor. Nas horas vagas, instalando impressora e formatando PCs desde os tempos que Alone In The Dark era um jogo bom e ocupava 4 disketes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.