Créditos: Divulgação // Codemasters.com

Concorrência come poeira com lance de US$ 1,2bi da EA pela Codemasters

Mesmo entrando tarde na disputa, o lance da Eletronic Arts foi mais de 30% acima do da Take-Two, favorita até então para aquisição do estúdio
Por Daniel Trefilio Carvalho 04/02/2021 11:49 | atualizado 04/02/2021 11:49 Comentários Reportar erro

O processo de aquisição do estúdio Codemasters, especializado em excelentes jogos de corrida como Dirt, Grid, além da franquia F1, já estava em pauta desde o final do ano passado, com a Take-Two como favorita a fechar o negócio com maior lance até então, de US$ 980 milhões.

A EA, que entretanto não havia demonstrado interesse até então, correu por fora e numa última reunião de conselho com 63 dos 76 acionistas majoritários, representando 99% das ações da Codemasters, teve seu lance de US$ 1,2 bilhões aceito. O valor representa mais de dez vezes (10x) faturamento de 2020 da Codemasters, aproximadamente US$ 103 milhões (£76 milhões) segundo o último relatório anual. A finalização da compra ainda precisa passar por uma audiência marcada para 16 de fevereiro, então deve ter sua oficialização apenas próximo ao meio do ano.

Com a chegada da Codemasters ao portfólio de estúdios da EA, o catálogo da empresa ganha títulos de peso, como os já mencionados Dirt e F1, para fazer companhia às franquias Need For Speeed, mas com a compra da desenvolvedora Slighty Mad em 2019 pela Codemasters, a EA ganhou também a série Project Cars. A expansão de títulos de corrida para a Eletronic Arts não foi o único possível ganho pela aquisição do estúdio de Southam, mas seria possível em teoria reviver Operation Flashpoint como uma franquia de shooter que foque mais no formato simulador militar, para diversificar um pouco o estilo arcade dos jogos desse gênero produzidos pela EA.

- Continua após a publicidade -

Em chamada para investidores, a EA afirmou que a aquisição da Codemasters não visa delegar títulos da casa ao novo estúdio, dessa forma não tirando Need For Speed das mãos da Criterion, mas sim ter a possibilidade de anualmente lançar novos títulos de corrida, buscando se tornar líder nesse mercado, sem deixar que o gênero vire uma fórmula pasteurizada apenas com nomes diferentes, em vez disso proporcionando experiências diferentes com maior regularidade.

Ainda na mesma chamada, a EA deixou claro que, apesar de não ter mais exclusividade de direitos sobre jogos de Star Wars, ainda têm grandes planos para o futuro da marca dentro da casa, além de estar muito confiante no futuro da BioWare, a despeito dos fracassos e polêmicas envolvendo os últimos jogos lançados pelo estúdio.

Independente do que todas essas declarações e aquisições possa representar, quem mais vai sair ganhando são os assinantes do Xobx Game Pass Ultimate, que muito provavelmente terão novos títulos e produções de peso acrescentados ao catálogo do EA Play, com certeza amenizando o desconforto do aumento da mensalidade que o serviço teve em 2020, ao menos enquanto se mantiver o acordo entre Microsoft e Eletronic Arts.

Via: PC Gamer
Tags
  • Redator: Daniel Trefilio Carvalho

    Daniel Trefilio Carvalho

    Formado em Letras pela Universidade Estadual de Campinas, professor, tradutor e revisor. Nas horas vagas, instalando impressora e formatando PCs desde os tempos que Alone In The Dark era um jogo bom e ocupava 4 disketes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.