Créditos: Reprodução/Simon Byrne

BMW i8 vira um poderoso sistema de mineração com seis RTX 3080

O dono de todo o equipamento admite que "na verdade queria irritar os gamers"

Há algum tempo o mineiro de criptomoedas, Simon Byrne, compartilhou uma plataforma de mineração composta por seis GPUs NVIDIA GeForce RTX 3080. O que mais chama atenção - além da quantidade de placas de vídeo presente -, é o fato de ele estar no porta malas de um BMW i8. Em entrevista para o Tom's Hardware o entusiasta confirmou que fez o equipamento sozinho e seu objetivo era, na verdade, "irritar os gamers". 

Com a falta de suprimentos de novas GPUs, equipamentos como os de Simon estão raros. Portanto, faz sentido que seu equipamento que é usado para mineração de criptomoedas irrite alguns gamers. 

Segundo Simon, o seu sistema é usado quando ele está longe de sua casa, mas ainda quer permanecer ativo em sua mineração. Assim, é possível usar os benefícios do veículo híbrido para ganhar dinheiro. O ponto negativo (ou talvez exibicionista) é que quando o equipamento está sendo usado, é necessário deixar o porta malas aberto para evitar superaquecimento. 

O dono do equipamento também contou como ele funciona. O BMW i8 é capaz de produzir até 3500W em sua tomada principal, a plataforma de mineração consome apenas 1500W. Ou seja, há energia mais do que suficiente para alimentar o equipamento. Simon também fala que os hardwares são conectados por meio de um cabo inversor. 

- Continua após a publicidade -

A bateria do BMW i8 é feita com íons de lítio de 11,6 kWh de 353V. Isso significa que é possível instalar diferentes equipamentos dentro do carro e ele será capaz de fornecer a energia necessária. Isso vale tanto para plataformas de mineração, como também para PCs gamers, caso alguém tenha interesse. 

Além de falar sobre o seu equipamento, Simon também falou em entrevista que é adepto a comunidade de mineração. Ele afirma que é como uma "utopia", onde os usuários consolidados dão o suporte para quem está começando, valorizando ainda mais o sistema. 

"A criptomoeda é de código aberto e descentralizada. Não é confiável e não há interferência de terceiros. Ninguém a possui ou controla e não tem um órgão regulador. A criptografia pode ser conduzida por código, mas é alimentada por uma comunidade apaixonada, altruísta e de código aberto. Indivíduos que voluntariamente investem seu tempo e energia ajudando os outros sem coerção ou ameaça de violência. Eles reconhecem que seu sucesso depende do sucesso de outros. Não estou na Criptografia para ganhar dinheiro rápido, mas aceito o bônus; estou nisso porque é uma visão de um mundo utópico onde os serviços são adquiridos por meio de relacionamentos voluntários."
- Simon Byrne, entusiasta em criptomoedas

"A criptomoeda é de código aberto e descentralizada. Não é confiável e não há interferência de terceiros. Ninguém a possui ou controla e não tem um órgão regulador. A criptografia pode ser conduzida por código, mas é alimentada por uma comunidade apaixonada, altruísta e de código aberto. Indivíduos que voluntariamente investem seu tempo e energia ajudando os outros sem coerção ou ameaça de violência. Eles reconhecem que seu sucesso depende do sucesso de outros. Não estou na Criptografia para ganhar dinheiro rápido, mas aceito o bônus; estou nisso porque é uma visão de um mundo utópico onde os serviços são adquiridos por meio de relacionamentos voluntários."
- Simon Byrne, entusiasta em criptomoedas

Para quem ficou se questionando quanto vale todo esse equipamento, há uma estimativa de US$ 147.500 mil. Em conversão direta, considerando apenas a atual cotação da moeda, o custo seria de aproximadamente R$ 806.353 mil.

Via: Tom's Hardware
Tags
  • Redator: Ana Luiza Pedroso

    Ana Luiza Pedroso

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.