Créditos: TechSpot

Valve e outras produtoras são multadas na Europa por bloquear compras entre países

Steam vai ter que pagar valor ainda maior porque foi a única que enfrentou as acusações

Depois de anos de julgamentos e negociações, seis grandes empresas de games serão obrigadas a pagar multas milionárias na Europa por causa de suas práticas de bloquear a compra de games em outros países. Entre as companhias temos a Valve, que vai ter que pagar o maior valor de todos por ter enfrentado as acusações em vez de colaborar com os reguladores.

As empresas multadas são:

- Valve
- Bandai Namco
- Capcom
- Focus Home
- Koch Media
- ZeniMax (quando ainda era dona da Bethesda)

Todo o processo de investigação e multa começou em 2010, e por isso a ZeniMax não tinha vendido a Bethesda para a Microsoft ainda. A prática que ocasionou a multa é feita pelas produtoras no mundo todo, especialmente pela Valve, mas na União Europeia é proibida.

A regra se refere a um "bloqueio geográfico", em que você não pode comprar um game em outro país para ativar na Steam do seu país para aproveitar preços mais baixos, por exemplo. Entusiastas da plataforma sabem uma lista de maneiras para burlar essa restrição, mas sabem também que, por padrão, a Steam não permite nem facilita esse processo.

Mas no caso da Europa essa prática é considerada um truste e proibida. As produtoras aceitaram cooperar com o órgão regulatório responsável pela investigação e tiveram suas multas reduzidas em até 10%. A Valve, que escolheu brigar, vai ter que pagar € 1,6 milhões. O total das multas para todas as empresas envolvidas no problema de bloqueio geológico é de € 7,8 milhões.

- Continua após a publicidade -

Não é um valor exorbitante para produtoras tão grandes de jogos, mas a ideia das multas é ter um caráter mais de exemplo do que punitivo. Com essa decisão fica claro para todas as produtoras que o bloqueio geográfico de jogos não será tolerado na Europa.

A Valve divulgou uma declaração a respeito da decisão, onde a empresa considera que não é justo ser responsabilizada por esses bloqueios que geralmente são pedidos pelas produtoras. De todo modo, a dona da Steam destaca que removeu os bloqueios na Europa em 2015 e só os mantém em jogos onde é necessário por causa de leis de conteúdo em determinados países - como polêmicas envolvendo o nazismo na Alemanha. A Valve alerta ainda que eliminar as travas de região pode resultar em aumento dos preços onde os jogos eram mais baratos, para deixar todos iguais.

Fonte: Engadget
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.