Créditos: Reprodução / AMD

ASUS possivelmente habilitou o Smart Access Memory para processadores AMD Ryzen 1000

Um usuário conseguiu fazer o AMD SAM funcionar em uma placa-mãe B450 com um processador Ryzen 7 1700

Aparentemente, a ASUS parece ter habilitado o AMD Smart Access Memory (SAM), que também é conhecido como resizable BAR, na primeira geração de processadores AMD Ryzen em uma placa-mãe com o chipset B450. Afinal, um usuário do Reddit conseguiu fazer o recurso funcionar em seu computador.

O usuário Merich98 compartilhou no subreddit da AMD que conseguiu fazer a tecnologia funcionar em seu computador, além disso, ele compartilhou alguns testes de desempenho que fez com a tecnologia AMD SAM. O usuário em questão possui uma placa-mãe ASUS B450-PLUS com a BIOS na versão 2409, que é a mais recente para este modelo, e um processador AMD Ryzen 7 1700.

Lembrando que o AMD SAM é uma tecnologia que faz com que o processador tenha acesso a toda da memória da placa de vídeo. No entanto, a AMD lançou este recurso apenas para os seus processadores Ryzen 5000 utilizados em conjunto com as suas placas-mãe da série 500. No entanto, os fabricantes de placas-mãe lançaram, de uma forma não oficial, este mesmo recurso em suas placas AMD e Intel da série 400.

Ademais, ativar o AMD Smart Access Memory em uma placa-mãe da série 400 não é algo surpreendente, mas fazer isso com um processador AMD Ryzen 7 1700, que é a primeira geração da arquitetura Zen da AMD, o torna um feito muito mais interessante.

SAM no Ryzen 1700
Créditos: Wccftech

- Continua após a publicidade -

Alguns rumores afirmavam que o AMD SAM não funcionava nas gerações mais antigas dos processadores AMD Ryzen por conta de uma limitação nas instruções PDEP, pois estas na arquitetura Zen 3 são 250 vezes mais rápidas que na arquitetura Zen 2. Porém, a AMD afirmou, em resposta ao Anandtech, que as instruções PDEP não ditam ou não a possibilidade do Smart Access Memory ser ativado.

Por fim, o Merich98 testou o desempenho do AMD SAM no Doom Eternal e no Shadow of The Tomb Raider, para estes testes ele utilizou uma AMD Radeon RX 580, que é baseada na arquitetura Polaris e está três gerações atrás da AMD Radeon RX 6000, que é o mais novo lançamento da AMD e utiliza a arquitetura RDNA 2.

Os testes foram realizados na resolução Full HD ultrawide, ou seja, 2560x1080, e os gráficos estavam na qualidade ultra. De acordo com o usuário, ele não notou nenhuma diferença no desempenho com o recurso ativado ou desativado. Segue os resultados dos testes:

Com o AMD SAM desligado na BIOS:

Teste 1: Média de FPS: 125.6 FPS / Mín. de FPS: 82.2 FPS / Máx. de FPS: 250.3 FPS

- Continua após a publicidade -

Teste 2: Média de FPS: 123.0 FPS / Mín. de FPS: 87.4 FPS / Máx. de FPS: 251.1 FPS

Teste 3: Média de FPS: 123.0 FPS / Mín. de FPS: 87.7 FPS / Máx. de FPS: 251.4 FPS

Com o AMD SAM ligado na BIOS:

Teste 1: Média de FPS: 125.9 FPS / Mín. de FPS: 85.4 FPS / Máx. de FPS: 253.0 FPS

Teste 2: Média de FPS: 124.2 FPS / Mín. de FPS: 82.0 FPS / Máx. de FPS: 252.9 FPS

Teste 3: Média de FPS: 124.6 FPS / Mín. de FPS: 79.4 FPS / Máx. de FPS: 252.8 FPS

Resultados finais:

Média de FPS: +0.839%

Mín. de FPS: -6.20%

Máx. de FPS: +0.596%

Fonte: Wccftech
  • Redator: Amanda Favaro

    Amanda Favaro

    Apesar de gostar de jogar videogame desde sempre, a Amanda encontrou a sua verdadeira paixão em 2004, quando ganhou o seu tão almejado primeiro PC. De lá para cá se aprofundou cada vez mais sobre o assunto e hoje se considera uma entusiasta de hardware. Além disso, continua adorando jogar, a única diferença é que agora a sua plataforma principal é o PC.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.