EA explica porque a versão do FIFA 21 no PC não é a da nova geração

Empresa falou mais sobre os recursos exclusivos presentes nos novos consoles e o motivo deles não terem ido para o PC
Por Willian Ferreira 25/11/2020 15:18 | atualizado 25/11/2020 15:18 Comentários Reportar erro

O novo jogo da franquia FIFA foi lançado no inicio do mês passado para a atual geração de consoles e PCs, com o lançamento oficial para chegar ao ao PlayStation 5 e Xbox Series X | S marcada para dia 4 de dezembro. O jogo virá com uma atualização gratuita para os jogadores dos novos consoles, trazendo diversos novos recursos que não estarão presentes nos PCs, mesmo nos mais potentes.

A EA, que vem sendo bastante criticada pela versão mais fraca no PC, detalhou melhor os recursos exclusivos da nova geração, e também o motivo de não levar eles para a versão de computador.

Segundo a empresa, as imagens e sons do FIFA 21 foram totalmente reinventados para a nova geração. A empresa trouxe melhorias na transmissão das partidas, a nova EA SPORTS GameCam traz a aparência de transmissões de futebol de alto nível ao game. Além disso a empresa está introduzindo o LiveLight Rendering, novo sistema de iluminação que busca levar a melhor a experiência possível para dentro de campo.

Veja todos os detalhes do novo FIFA 2021.

- Continua após a publicidade -

Além dos gráficos, a desenvolvedora circulou pelas maiores competições de futebol do mundo fazendo a gravação de milhares de cantos de torcidas. Com isso a empresa espera que criar uma atmosfera sem precedentes na EA SPORTS.

Forçando ao máximo a Frosbite, a EA está prometendo uma definição física mais realista dos jogadores, incluindo flexão dos músculos após ações e um realismo maior nos fios de cabelo em alguns dos melhores jogadores de futebol.

A empresa espera que essa melhoria gráfica e motora dos jogadores, junto a nova iluminação dinâmica, traga um novo nível maior de realismo para o rosto dos jogadores e equipamentos.


Créditos: EA

A nova tecnologia promete não apenas melhorar o gráfico dos jogadores, mas também as animações dos personagens. Os jogadores irão ter uma movimentação mais autêntica em campo, com uma duração dessas animações aprimoradas para trazer a melhor experiência ultra-responsiva em todas as situações da partida.

- Continua após a publicidade -

O carregamento é outro ponto que a desenvolvedora salientou em seu comunicado oficial. Segundo a EA, os jogadores nunca perderão o foco da próxima partida no FIFA 21, pois os ambientes dos estádios serão carregados em instantes, permitindo ao jogador mudar de uma partida a outra em segundos.

Porém trazer essas tecnologias para o PC iria limitar o público do jogo. Segundo o produtor executivo da Electronic Arts, Aaron McHardy, caso essas tecnologias fossem transferidas para o versão do PC, diversos jogadores com computadores mais básicos ficariam de fora de poder jogar o game.

Aaron afirma, em entrevista na Eurogamer, que a empresa fez uma análise de hardware dos jogadores de FIFA no PC, com base nisso a empresa lançou a versão de computador focada no hardware que o público possui.

"E nós temos essa informação para entender qual é o poder dos PCs pelo mundo. E quando olhamos para isso, a fim de rodar o jogo gen cinco, nossa especificação mínima estaria em um ponto que teria deixado muitas pessoas de fora, sem poder jogar o jogo.” 
- Afirmou Aaron McHardy.

Não é a primeira vez, nem a segunda, que a empresa lança uma versão de PC com a geração passada. Na mudança de geração de Playstation 2 e Xbox para o PS3 e Xbox 360, a versão do PC ficou por alguns anos rodando no motor da geração mais antiga.

Isso também se repetiu no início da atual geração, quando o jogo já vinha ficando atrás na questão de recursos para os consoles antes mesmo do lançamento da geração. Apenas em 2014 que a EA deixou o jogo de PC e console com os mesmos recursos, através do lançamento do FIFA 15, trazendo a EA Sports Ignite aos computadores.

Via: EuroGamer, Neo Win Fonte: EA
  • Redator: Willian Ferreira

    Willian Ferreira

    Willian Ferreira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2019 e começou a estudar Sistemas na Estácio. Desde criança é um aficionado por games, essa paixão acabou despertando o interesse na área de tecnologia. Joga de tudo um pouco, mas tem uma preferencia para jogos de ação, FPS e Fable.

Em um remake, você quer:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.