App do WikiLeaks removido da App Store rendeu US$5 mil

O aplicativo não-oficial do WikiLeaks para iPhone e iPad não ficou muito tempo na App Store, mas seus dois dias de permanência na loja da Apple foram o suficiente para render mais de quatro mil downloads e US$5840,14 de lucro para o seu desenvolvedor, Igor Barinov.

Aparentemente, o que levou a gigante de Cupertino a rejeitar o aplicativo, vendido a US$1,99, foi seu carÁter um tanto "caridoso", no entender do Techcrunch. Barinov decidiu doar US$1 de cada venda para o WikiLeaks, o que representa um total de US$4443.



No entanto, o programador afirmou que a companhia apontou violações a duas regras do programa de desenvolvedores para o iPhone. Uma proíbe aplicativos "difamatórios, ofensivos, mal-intencionados ou capazes de causar danos a indivíduos ou grupos" e a outra ressalta que as apps devem obedecer todas as leis de todos os locais nos quais estÁ disponível.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.